Força, amigo Zeus

dino3

Minha vida é movida por cães, leio cães, escrevo cães, estudo cães, trabalho cães não posso dizer que almoço e janto cães porque não é verdade, mas quando estou comendo eles também estão.

A maioria de meus alunos eu vi crescer, alguns me deixam depois de algum tempo, mas ficam guardados na minha memória para sempre, esqueço o nome e o dono, mas não esqueço do meu aluno.

Zeus é um aluno diferente está comigo desde que eu e seu dono Gustavo Gasparoto fomos buscá-lo numa casa próximo a rodoviária. O pai de Zeus se chama Moisés um enorme labrador caramelo, cabeçudo lindo. Zeus nasceu negro como a noite, mas com um brilho de luar no peito em forma de uma manchinha branca, escolhido por Gustavo justamente por esse detalhe.

Treinei Zeus como se fosse meu e logo Zeus se tornou parceiro de Kaoma minha rottweiler terapeuta. Zeus também levou muita alegria a crianças e idosos em apresentações. Passou a fazer parte de minha equipe de terapeutas mais bem treinados.

Aposentado desde os 7 anos, eu e Zeus passamos muitos mas muitos bons momentos juntos e dos maus momentos também. Certa vez estávamos parados na avenida Ismael Alonso y Alonso em cima da calçada esperando para atravessar quando fomos atropelados por um carro que ao tentar estacionar, acertou o para-choque na cabeça de Zeus fazendo-o convulsionar bem na minha frente.

Mas, para minha sorte e a de Zeus, estávamos a poucos metros de uma clinica veterinária e eu, no desespero com ele nos braços, entrei corrento pedindo socorro e com toda rapidez conseguimos salvar Zeus que ficou internado por 2 dias e foi liberado em seguida para viver sua vida normalmente.

Zeus é bem amado por seus donos que não medem esforços para tratá-lo praticamente como um membro da família. Num outro susto, Zeus retirou um tumor próximo ao ânus que graças a Deus não voltou.

Como eu disse, sempre acompanhei e acompanho a vida de Zeus. Cuidei das cruzas dele, arrumando namoradas, verificando alimentação e levando ele nas minhas sessões de cão terapia. Hoje, aos 14 anos, com catarata, surdo com dificuldade de movimentar e com uma insuficiência cardíaca, vê-lo na velhice me dá um pouco de nostalgia, tristeza, pois ele é minha ponte com a cadela que mais amei Kaoma e, por consequência, o quero muito bem, muito mesmo.

Relembrar nossas atividades juntas onde Zeus e Kaoma eram verdadeiros parceiros de apresentações. APAES, Azilos, Creches, Mac dia feliz, expocães, gincanas, desfiles de 7 de setembro, fomos em tudo que éramos convidados. Mas a vida não para para ninguém nem mesmo para esses anjos e para eles costuma ser mais cruel, pois o tempo passa muito rápido.

Esta semana Zeus foi diagnosticado com um tumor na traqueia, gravíssimo. Minha amiga Dra. Flavia Novelino fez a cirurgia para retirada deste tumor que estava dificultando meu amigo a comer beber e respirar. Hoje fui buscá-lo e, ao pegá-lo na clinica, Zeus me recebeu como se nada estivesse acontecendo, abanando o rabo, tossindo, com dificuldade de andar foi até o carro parou na porta e me olhou como se pedisse ajuda para subir, suas pernas que antes faziam truques de saltar andar apenas em duas patas mal conseguiam sustentar seu corpo cansado.

Segurei seu corpo e o ajudei a subir, me veio a imagem de Kaoma passando por tudo aquilo novamente e num relance meu coração angustiou, os olhos merejaram então chorei. Segui destino a sua casa, a vontade era levá-lo para minha, onde eu pudesse acompanhá-lo, ajudá-lo, retribuir tudo que me proporcionou.

Mas seus donos são muito leais a ele e Zeus agora está em casa, recebendo os cuidados corretamente e minha mente está lá com ele. Força Zeus, estou com você nas orações assim como todos que amam cães e sabem o que você está passando, estão todos orando por você!

Anúncios

Terapeutas

caoterapia2

Acariciar um animal pode diminuir a ansiedade de um doente do coração e até mesmo ajudar na recuperação durante uma internação hospitalar, isso tudo comprovado cientificamente.

Os benefícios do contato com eles foram notados quando os pacientes tiverem a visita de animais cooterapeutas em seus leitos.

Por isso a terapia usando animais já é aceita e respeitada em vários hospitais e asilos do mundo. Estudos mostram que uma visita de apenas 12 minutos ajuda na função cardíaca e respiratória de pacientes de um hospital, comparado com outros que foram deixados sozinhos em seus quartos.

caoterapia4

Ao levar meus cães no Lar São Vicente de Paulo, juntamente com minha colaboradora Vanessa e seus animais, os profissionais dizem que desde o momento em que é anunciada a visita, durante a semana os idosos residentes ali se mostram mais ativos, mais falantes e durante a visita eles diminuem o nível de ansiedade e durante a semana continuam mais felizes. Alguns menos tristes e sempre aguardando uma nova visita de seus amigos peludos.

caoterapia1

Eu tenho um cão mansinho! Posso fazer esse trabalho Dino?

Nem todo cão é um terapeuta. Um cão terapeuta deve ser escolhido para o trabalho de maneira correta, de preferência testes devem ser feitos por um profissional que entenda e atua na área.

Não é porque tem labrador ou um poodle que irá desenvolver um trabalho impecável. Um cão mal selecionado pode causar problemas, até mesmo acidentes. Um cão hiperativo pode pular, arranhar as pernas de um idoso, machucar tentando subir em cima de usas pernas.

caoterapia3

Já um cão quieto demais pode causar tristeza ao paciente caso o cão não de atenção. Um cão terapeuta tem que suportar, puxões, afagos em demasia, ser atencioso, de preferencia castrado, deve estar sempre limpo, vermifugado, ter as vacinas em dia, dentes limpos, ser sociável, não se assustar com barulhos ou movimentos do tipo arrastar pés, tosses, espirros.

O correto é montar uma equipe onde um profissional da área de saúde humana, um veterinário e pessoas voluntarias lideradas pelo profissional ira realizar o trabalho um boa equipe é essencial para quem quer realizar esse trabalho. Lembre-se: um cão terapeuta é quase um médico.

Qual o valor disso?

1461765_245340235625695_1789117631_nCertas coisas não tem preço.
Ver uma criança com necessidades especiais, relaxar a musculatura e se divertir na presença de um cão é uma delas. Foi assim no dia 30 de novembro passado, em Patrocínio Paulista.
Acreditávamos que iriam pelo menos 50 pessoas, mas foram apenas 10 e o que era pra ser apenas uma apresentação se transformou em uma sessão de “cão terapia”.

Este é o Kauã, meu amigo e amigo da Andora. Tem coisas que acontecem e não são por acaso. No meu ver foi melhor do que se tivesse 150 pessoas. Pude ajudar alguém individualmente e estou emocionado até agora.