Com que roupa eu vou?

pit

A vida de adestrador é uma mistura de trabalho com diversão. O tempo todo me divirto com os cães, mas principalmente com seus donos. Sempre digo que os donos são os mais difíceis de serem adestrados.

A inteligência de um cão é medida pela quantidade de vezes que você tem de repetir o comando. Alguns cães demoram 3 alguns 10 repetições para assimilar o aprendizado. Imagina então os donos que demoram 15 ou 20 tentativas, rs! Afinal, eles nunca, repito, nunca fazem do jeitinho que pedi, só depois de exaustiva repetição.

Certa vez, saindo para uma aula com uma dona e seu cão, um pit bull albino muito pesado e um verdadeiro moleque, seguimos até um local tranquilo para realizar os exercícios que eu ia passar. Ela era uma senhora de uns 50 anos cerca de 40 a 45 kilos não mais que isso, franzina, com uma fala aguda, alta e estridente. Seu sotaque era uma mistura de mineiro com nordestino o que deixava seus “causos” ainda mais engraçados.

Por causa dessa fala aguda e estridente que doía nos ouvidos, algumas palavras, que eu não ouvia fazia um tempo, ficavam muito engraçadas. Como a palavra excomungado, termo carinhoso que usava para se referir ao seu cão, que com sotaque saia “excumungado”, era hilário!

Ela gostava muito de seu pit bull, mas este a arrastava como um graveto pelas ruas de seu bairro. sempre animada, ela estava pronta para ir, vestida com uma saia longa e uma chinelinha de tirinha (rasteirinha), uma vestimenta não muito apropriada para quem vai treinar um cão, ainda mais um pit bull. Mas não sou personal style e sim adestrador e com o tempo ela iria aprender que esse tipo de roupa e calçado não deveria ser usado para passear com um cão daquele porte.

Tentei acertá-los, mas o pit bull havia acostumado a arrastá-la. Era só eu pegar na guia que ele andava direitinho, mas quando era ela que segurava, o cão não estava nem ai, sem contar que a dona não ajudava, posicionando-se de maneira errada, gritando muito com o cão e o deixando agitado, sem contar que ele pisava na rasteirinha e saia atrapalhava, e os dois não entravam em um acordo, rs!

Resolvi apelar para um exercício simples que consistia em andar em círculos com o cão mantendo-o próximo a perna esquerda. Então desenhei um circulo grande no chão e mostrei como se devia fazer. Depois de uns 2 minutos e algumas correções na postura e maneira de segurar na guia, o exercício começou a surtir efeito.

De repente notei que ela não conseguia andar no circulo e pedi para que ela se concentrar e ficar na marcação, ela concordou e continuou. Foi quando ela cambaleou para o lado e “ploft”, estatelou-se no chão. Nessa hora, eu estava um pouco mais afastado sentado na beira da calçada observando o exercício.

A dona caída no chão tentava a todo custo se levantar, mas o pit bull pulou no seu peito e, lambendo sua cara, explodia em alegria e festa impedindo-a de se levantar. A cena era trágica, mas muito, muito engraçada!

Desistindo da cara, o pit bull começou a tentar entrar em baixo daquela saia grande e ela não sabia se segurava a saia, se empurrava o cão ou se levantava. O que se ouvia era: “espera ai excumungado, espera ai trem, nusss!”

Segurei a guia do cão o mais rápido que pude e com a outra mão estendida ajudei a senhora a se levantar. Então, com a voz alta tipico de quem nasceu perto de cachoeira, rs, ela disse: “NOSSA MOÇO EU NUM POSSO ANDAR DE RODA OLHANDO PRA BAIXO, EU TENHO LABIRINTITE!”.

Não aguentei e comecei a rir, descontroladamente, pois eu já estava segurando o riso desde o começo do nosso treinamento e agora me segurava para não urinar nas calças.

Se já não fosse o bastante, ela olhou para baixo e perguntou: “cadê minha sandália?”. Quando damos olhada na boca do pit bull, lá estava a rasteirinha, toda babada e com umas duas tirinhas arrebentadas.

Voltamos para a casa dela, eu com os olhos lacrimejados de tanto rir e ela com um sorriso amarelo, para numa próxima aula, ela sair com uma calça jeans e um tênis adequado e com o remédio de labirintite tomado, rs!

Anúncios

Roupas no Varal

shutterstock_24091723

Cães aprendem de tudo, mas nada como a bagunça, isso é o que aprendem com maior facilidade. Muitos aprendem observando outro cão ou até mesmo o próprio dono. Não, espera, o próprio dono? Sim, é verdade! O maior exemplo disso é quando dono vai no jardim e planta alguma coisa. O cão observa de longe e, quando o dono se ausenta, aquele vai ver o que foi enterrado ali e iniciando uma série de buracos.

Com as roupas no varal é a mesma coisa. Ele vê o dono as pendurando e quando este sai de perto ele vai e as puxa. O que ele faz ali é treinar sua caça fazendo um cabo de guerra com a roupa e pulando nela quando o vento a balança. Quer brinquedo melhor para um cão??? Daí surge a pergunta: por que quando estou em casa ele não pega as roupas no varal?

Simples, você está lá e o corrigiu. Ele sabe que pegar roupa na sua presença é errado. Mas ninguém o corrigiu na sua ausência. Por isso o que vou ensinar aqui se chama correção indireta, ou seja, é a correção sem associar à presença do dono.

Pegue uma lata de tinta 18L vazia. Coloque latinhas de cerveja ou refrigerante dentro (ótima desculpa para tomar umas, rs!). Coloque em cima do muro, telhado ou algo próximo ao varal. Amarre-a num pano velho estendido no varal. Quando o cão puxar a “armadilha” irá cair, causando um incômodo no cão que irá associar o barulho e o susto ao ato de pegar roupas na sua ausência.

Mas veja bem! É importante que o cão não veja que você fez a armadilha, pois se ele notar a presença do barbante ele ira puxar somente quando a armadilha não estiver armada! Este tipo de correção (indireta) pode te dar várias ideias para corrigir comportamentos que são feitos na sua ausência.

Ps: Fala a verdade, a ideia do uso da latinha de cerveja foi boa, num foi???

Pegando roupas do varal

varal

Cães adoram treinar caça e nada melhor que uma roupa balançando no varal!

Enquanto você esta em casa seu cão se comporta bem, mas é só virar as costas que ele “pesca” as roupas no varal!
O que fazer?

Você tem que usar a correção indireta, ou seja, corrigir sem que você esteja presente, mas como fazer?!

Pegue uma lata de tinta vazia daquelas de 18 litros e encha de latinhas de cerveja (boa desculpa pra tomar cerveja, hein, rs).

Sem que o cão veja, coloque a lata em cima do muro ou outro local próximo ao varal de roupas.
Amarre um barbante na lata e amarre num pano ou roupa velha pendurado no varal.

Quando o cão puxar, tudo irá cair e assustá-lo, fazendo a correção na sua ausência.

Bom, agora deixa eu correr porque que estou cheio de roupas para lavar hehehe.

Caminhadas no verão com seu cão

roupas-para-cachorros-grandes-exercito

Duas cachorrinhas estavam conversando até que uma disse:
– Olha lá, o Rex ta vindo aí!
– Então vou entrar …(reponde a amiga)
– Você não gosta do Rex?
– Não ele até que é bonzinho, mas o nariz dele é geladinho.

Roupas-caninas-bem-legaus-6

Na verdade o nariz do cão não é gelado e sim úmido, isso porque os cães possuem uma pequena quantidade de glândulas sudoríparas que liberam suor pelo focinho e assim ajudam controlar a temperatura interna.

Cães precisam transpirar pela boca, focinho e os coxinhos dos pés. Isso explica o motivo dos cães andarem com a boca aberta, respirando como se estivessem ofegantes. O ato não significa necessariamente cansaço, mas um processo de eliminação de calor do corpo: o ar quente sai e o frio entra. Essa mesma troca ocorre no focinho. Quando o ar quente interno sai por ali e entra em contato com o ar ambiente mais frio, ele sofre o processo de condensação e ganha a forma líquida, molhando e resfriando o focinho.

Pastor-belga-Brasao-Grama-Caminhada-cao-1024x1280

MUITA ATENÇÃO AO COLOCAR ROUPINHAS NO SEU CÃO. VOCÊ PODE CAUSAR UM AQUECIMENTO E DEIXÁ-LO DOENTE AUMENTANDO MUITO A TEMPERATURA DELE.

No calor ofereça sempre água fresca ao seu cão, saia em horários onde o sol não esteja forte e leve água para hidratá-lo. Em época de calor intenso você pode levar uma capa feita de malha fina ou uma bem leve que seu cão tenha. Você pode fazer de uma camiseta velha, por exemplo. Abra ela no meio, retire as mangas deixe apenas a gola de maneira que ela fique apenas sobre o dorso do cão, coloque ela úmida e durante a caminhada você vai molhando com pequenas quantidades de água, mantendo o cão com a temperatura mais baixa.

Respeite os limites do seu cão e boa caminhada!!