Não me toque

tosar

Essa semana recebemos no meu pet shop a Lila. Ela já havia passado por vários pet shops, mas toda vez que tentavam tosá-la, ela rosnava e tentava morder.

Lila é uma cadelinha adotada e sua vida não foi nada fácil. Ao ser adotada, recebeu todo amor e carinho que lhe fora negado e isso a deixara mimada.

Assim, quando Lila não queria algo bastava rosnar e mostrar os dentes ou tentar morder que logo paravam e a cada tentativa de banho esse hábito ia se tornando pior.

Um dos grandes problemas de alguns banhos e tosas são a economia de ferramentas.

Para isso é utilizado apenas uma lâmina para tosa faz com que aqueça e queime o cão quando a máquina toca o seu corpo, deixando-o com medo da tosa. A maneira de segurar as patas do cão puxando com força e o uso sem necessidade de focinheira também são causas da aversão de alguns cães por banhos.

Funcionários estressados, que trabalham como se estivessem numa linha de produção, limpam sozinhos 20 a 30 cães por dia, quase mecanicamente, deixando muitos cuidados de lado para acelerar o processo.

No final, conseguimos limpar Lila. Minha Pet Groomer, Aline, tomou uma mordida, algo desagradável, mas esperado em casas como este. Mas com paciência, usando a psicologia canina e a cima de tudo o profissionalismo, quase tudo é possível, rs.

Lila voltou pra casa sem os nós no pelo que a machucavam e dona, que antes atendia o telefone para ouvir que não haviam conseguido fazer o trabalho, desta vez ouviu que Lila estava pronta.

Tenho orgulho de minhas amigas e profissionais que hoje fazem a diferença no serviço de banho e tosa. Obrigado meninas!

Anúncios

Pimenta no dos outros é refresco

shutterstock_196714352

Vejo um monte de gente usando “técnicas” absurdas e abusivas para tirar manias de seus seus cães.

Certa vez uma pessoa me disse pela internet que estava dando pimenta para o seu cão ficar mais bravo, mas que não estava adiantando, ele continuava manso. O que esse insensível e louco não sabia é que a pimenta pode ser fatal para um cão, pois pode causar um problema gástrico incurável.

Outra violência que é cometida contra o cão é enrolar o jornal e bater na cara do coitado. Na verdade, essa técnica tinha objetivo de assustar o cão, batendo com o jornal em alguma outra superfície sem ser o cão, mas alguém perdeu a paciência e enfiou na cara do totó e espalhou para todo mundo que funcionava.

E esfregar o focinho do cão na urina ou nas fezes? Era apenas para levá-lo perto do xixi ou coco, apontar e dizer NÃO, mas alguém perdeu a paciência e começou a esfregar o focinho do cão e achou que foi sua técnica que funcionou e saiu falando para um monte de gente que funcionava.

Uma das violências mais bizarra que já ouvi falar foi que morder a orelha do cão firma a liderança sobre o animal. Não sei de onde tiraram essa, mas que transforma o dono em um animal irracional, ah, isso funciona!

Bom, moral da história é: tenha cuidado com técnicas estranhas, leia sites e livros confiáveis e se isso não for suficiente de sanar suas dúvidas, pergunte a um profissional da área. Tudo que depende de agressividade e descontrole emocional para funcionar esta descartado no mundo canino. E tenha sempre em mente que pimenta arde em qualquer um!

Corre muito

running-whippet-dog-wallpaper

Às vezes muitas pessoas perguntam:
– Dino qual a velocidade de um cão quando ele vai atacar?
E eu sempre respondo:
– Depende o quanto ele quer te morder!

Mas temos o Greyhound, que é um cão de companhia, conhecido como o cão mais rápido do mundo. Atinge a velocidade de 65 km/h. Há relatos de cães em provas que atingiram incríveis 80km/h. Esta característica esta presente em todos os cães da família dos Galgos. É um cão carinhoso e de bom caráter. É amável com a família e gentil com as crianças. É um cão calmo, tranquilo e consegue ter um bom relacionamento com os outros cães e pets. Com os estranhos costuma ser reservado e tímido.

WhippetWhiteSaddled_wb

No Brasil, talvez por seu tamanho, os Greyhounds são menos populares que outras raças ‘aparentadas’, como o Whippet. Um dos primeiros entusiastas da raça foi Santos Dummont, que trouxe seus exemplares da França. Os primeiros criadores da raça, iniciam sua criação no Brasil nos anos 40, no Rio de Janeiro. Em comum os Galgos de origem milenar são ótimos cães de caça, donos de um tipo físico e temperamento muito especial.

Deixo aqui um vídeo desse maravilhoso cão em ação.