Cadelinha “amável”

cadela

“Oi Dino, sempre acompanho seu blog e acho muito legal sua disponibilidade em atender a todos. Tenho uma cadela de um ano, a Frida. Estivemos com ela direto dos dois aos cinco meses. Neste primeiro período, já percebemos que ela era muito ativa, pulava muito e eventualmente rosnava quando nos aproximávamos do prato de comida. Fora isso, era uma cadela dócil e bem humorada.

Aos cinco meses tivemos que deixá-la junto com o nosso casal de teckel numa casa com outra pessoa, por ficamos fora do Brasil. A pegamos de volta quando ela tinha 8 meses. Na outra casa ela já tinha mordido a fêmea teckel, mas sem gravidade. Depois que voltamos para casa ela atacou a fêmea 3 vezes, e as 2 últimas com gravidade. Agora temos que separá-las constantemente.

A Frida também revelou não gostar de crianças. Apesar de não termos criança em casa, sempre quando aparece alguma visita, ela fica aparentemente irritada e arrepiada com a presença delas. Ela ainda tem rosnado mais quando nos aproximamos da comida e andado mais agitada.

Mesmo assim é muito mansa e tranquila, nunca avançou em ninguém, gosta das pessoas adultas. Às vezes, a impressão que tenho que ela passa por um momento de nos testar e querer se impor. E acho que não estamos sabendo como controlar isso e contornar a situação.

Ela é inteligente, sabe sentar, dar a pata, espera quando a gente vai dar a comida e não avança no prato. Mas infelizmente estamos perdendo a confiança nela. Queria um conselho de quem é especialista. Enfim, adoramos a cachorra e não queremos nos desfazer dela”.

Se seu cão demonstra sinais de dominância bem cedo e vocês já deveriam ter dado atenção a estes sinais. Não é o fato dela sentar e dar a patinha que a torna um cão de temperamento tranquilo. Um cão hiperativo estressado pode causar sérios danos a família.

O fato dela ter passado por dois lares faz com que ela seja líder, pois não teve tempo de criar esta hierarquia por onde ela passou. Ao se adquirir um cão devemos analisar se estamos realmente prontos para isso. Devemos calcular no minimo 10 anos a frente para saber se vamos ter condições te continuar com o cão.

Conviver com o cão e participar de sua educação é muito importante para a formação de seu caráter. Muitas pessoas pensam que só devem se preocupar com a educação do filhote na fase do adestramento, ou seja, quando todas as vacinas foram dadas e ele está pronto para sair à rua e ser adestrado e é ai que está o grande problema.

Muitos pensam que um cão adestrado vem com um controle remoto pronto para clicar e obter resultados. É certo que um cão bem adestrado tem facilidade de atender comandos, mas somente cães que recebem comandos de várias pessoas obedecem outras pessoas.

Portanto, se o proprietário do cão não participa das aulas, ou melhor, não faz o dever de casa, ele sempre terá dificuldade em conseguir resultado com seu cão. O melhor é começar cedo, assim que o filhote chega a sua nova casa, ele deve aprender a seguir normas. Um cão nasceu para viver em matilha e quando o tiramos de sua matilha, automaticamente, ele irá fazer da família humana sua matilha.

Numa matilha existe a hierarquia, ou seja, toda matilha tem um líder, alguém que decide quais os tipos de brincadeiras podem ser feitas, quando a brincadeira deve parar, hora de se alimentar e outras regras básicas.

Então você deve escrever em um papel suas regras básicas e mostrar para toda matilha. Isso mesmo todos da família devem estar cientes das regras para que o cão não aprenda que, com um pode com outro não pode. Quase todas as consultas de comportamento que dou 70% do mau comportamento do cão adulto ou filhote foram ocasionadas pelos donos.

Crianças são os principais causadores de mau comportamento em filhotes seguido de mulheres que deixam seus “bebezinhos” bastante a vontade na casa e acabam criando um “monstro” e por último alguns maridos que são indiferentes às atitudes do filhote, mas quando a esposa solicita alguma atitude, tentam impor sua liderança através da força, fazendo com que os filhotes cresçam com medo e não respeito a sua presença.

Muitas, mas muitas pessoas que conversei ou adestrei seu cão não estavam preparadas para ter um.

Ciúmes ou dominância?

pit1Muitas pessoas me ligam dizendo que seus cães são muitos ciumentos e que precisam reverter isso. Cães não têm ciúmes e sim dominância, tudo que eles acharem que lhes pertence ele irá brigar para manter com ele.

pit2

Fui atender uma cliente que conheci pelo Facebook e me contou sua historia. Ela chamava Tati. Estava desesperada, pois tinha uma pit bull que não gostava de cães e ia morar com ela uma cadelinha SRD idosa muito tranquila. A pit bull que nunca fora socializada, não queria aceitar a nova moradora. O problema é que Tati a mimava demais e quando a SRD aproximava dela a pit bull queria morder. 70% dos comportamentos errados dos cães são causados pelos donos. Mas com a vontade de mudar, ela conseguiu e agora está se tornando uma líder para seus cães.

pit3

Parabéns Tati, você conseguiu!

Veja pelas fotos a evolução dos exercícios de liderança e tolerância. Vejam que aos poucos ela vai conseguindo fazer carinho nas duas ao mesmo tempo sem que nenhuma tente atacar. Já no mesmo dia a pit bull passa a andar atrás e não à frente, pois um bom líder sempre lidera a matilha.

pit4

Lembrando que recaídas podem acontecer, mas sempre por culpa do dono.

Os motivos das brigas entre animais. Saiba

two dogs playing and showing teeth, separated from background

Tudo estava em paz, e sem mais nem menos, a guerra toma conta da casa. Isto mesmo, seus cães começam a brigar do dia pra noite, se transformam em inimigos mortais e você os separa. Cada um em uma parte da casa. Você chama o pai de santo, a benzedeira, o pastor, o padre, pois só pode ser coisa do “capeta” (kkkkk). Aos olhos do dono foi tudo de uma hora pra outra, estava tudo indo bem, com apenas alguns rosnados de vez em quando.

Opa! Você disse rosnados de vez em quando?

Pois bem, as mudanças de comportamento entre seus cães aconteceram em baixo do seu focinho, ops embaixo do seu nariz (rs), mas infelizmente você não foi capaz de identificar estas mudanças de comportamento ou alteração de hierarquia, que se tornou uma disputa ferrenha do cão mais velho, não querendo ceder o posto de líder ao mais novo, ou os dois cães da mesma idade disputando o posto de líder que você como dono não foi capaz de assumir.
Sabe aquele momento que você vai fazer carinho em um e o outro não gosta e inicia abriga? Pois é mais um sinal que o problema está em você!

SE VOCÊ POSSUI DOIS OU MAIS CÃES, MESMOS QUE TODOS OS ELES SEJAM DE IDADES E TAMANHOS SEMELHANTES, FIQUE ATENTO A MUDANÇAS DE COMPORTAMENTO EM RELAÇÃO UM AO OUTRO.

– Um dos cães, normalmente o mais velho, é o líder. E se ele não for um animal dominante, pode acontecer de você nem ao menos perceber que este cão é o líder. Se o cão que sempre foi o líder está ficando, aos poucos, para trás – o outro cão passa pelas portas primeiro, fica mais perto da poltrona do dono – a posição social dos cães está mudando.

– Quando os cães possuem um relacionamento estável, não rosnam um para o outro. Cada membro da sociedade aceita sua posição, não sendo necessário desafiar os outros com rosnados. Cães que estão em mudança de status social ou que se recusam a se submeter aos outros cães sinalizam avisos através de rosnados. O dono que começar a ouvir rosnados deve se preparar para enfrentar futuras brigas, se não forem tomadas providências.

– Atenção: Nem todos os rosnados são sinais de desafio. A exceção é quando os cães estão brincando e ficam rosnando, sem nenhuma intenção de dominar um ao outro.

– Os donos devem ser capazes de reconhecer sinais mais sutis de desafio. O cão desafiante se aproxima do outro, fica bem ereto para parecer maior e encara fixamente o outro cão. Não é difícil reconhecer este olhar! A cauda é carregada alta e pode-se perceber um tremor em sua ponta e os pelos de seu corpo podem ficar eriçados.

– A mudança de posição social mais comum é causada pela chegada da maturidade de um filhote, que é alcançada por volta dos 18 aos 24 meses. A maturidade social não tem nada a ver com a sexual, que se dá por volta dos 6 aos 9 meses. Até alcançar a maturidade social, o filhote irá aceitar sua posição submissa em relação a outros cães.

Quando se torna maduro, o cão pode não mais se sujeitar a esta situação e desafiar o cão mais velho pela supremacia social.
– A idade avançada também afeta a forma como os cães se comportam um com o outro. Quando um cão se torna menos vigoroso, o outro cão da casa pode se apoderar da posição social do menos forte.

– Entre fêmeas problemas hormonais e época do cio podem desencadear brigas.

briga2

COMO AGIR

Fique atento aos sinais de conflito. Observe as mudanças de comportamento dos cães e reconheça os sinais de aviso antes que ocorra uma briga e um ou ambos os cães se machuquem. Remova fontes de conflito sempre que possível. Alimente cada cão em locais separados.

Se ficarem no mesmo ambiente, permaneça com os cães enquanto comem para evitar que o mais dominante se apodere da ração do outro. Retire as vasilhas assim que terminarem de comer. Normalmente, os cães não guardam a vasilha de água, mas sempre é interessante oferecer mais de uma para evitar qualquer conflito. Não ofereça ossos ou outro tipo de brinquedo que contenha comida quando os cães estiverem juntos. Separe cada cão em um ambiente se quiser oferece-los. Às vezes é necessário retirar todos os tipos de brinquedo dos cães quando estes estiverem sozinhos, sem nenhuma supervisão humana. Ensine obediência ao cão. Ele deve atender prontamente aos comandos SENTA e DEITA.

Inicialmente, ensine cada cão por vez e quando já tiverem aprendido, faça os exercícios com os dois cães juntos. Ter um ótimo controle dos cães pode prevenir brigas que poderiam vir a ser muito sérias. Não confine dois cães em um espaço pequeno e nem deixe dois cães juntos em um espaço pequeno que contenha comida ou brinquedos. Os cães precisam de espaço para conseguir fugir caso um dos cães se torne agressivo. Castre-os.

PROCURE UM PROFISSIONAL

Tenha certeza que cães podem sim viver em harmonia, pois são da família dos lobos e ambos vivem em matilha.

briga3

Na próxima postagem vou ensinar como separar as brigas. Até lá!