Latidos durante a caminhada

latido-cachorro-poodle

Numa matilha de lobos, cada membro tem uma posição hierárquica. Quando se aproximam de outros, estes passam informações de sua posição na matilha.

O cão que você tem carrega essa informação no DNA e alguns fazem questão de passar essa informação aos demais cães em sua volta.

Se seu cão ao sair late para todos que se aproximam ou estão no seu campo de visão, este pode estar passando a informação de que é um líder dizendo que está ali para mandar e marcar o seu território.

Mas os latidos podem ser um sinal de medo. Latir pode ser uma maneira de blefar, fingindo ser um cão dominante. Tudo depende da maneira com que seu cão esta posicionado durante a caminhada.

Anúncios

Cala a Boca Belinha!!!

shire2

Recebi uma ligação semana passada onde de um casal muito simpático me implorando ajuda.

O problema era sua cadelinha Belinha, uma yorkshire temperamental, mimada, dona das atenções.  Quando o casal veio morar em franca a 3 anos atrás, Belinha mesmo sob sedativo não parou de latir um minuto o que levava seus donos a gritarem: “cala a boca, Belinha!”. Mas a cachorrinha não dava a mínima, pelo contrário, aproveitava e “soltava os cachorros” e ai de quem tentasse tocá-la, pois levava uma bela mordida.

Bom, esse casal está voltando para o sul e sabendo de meus serviços me pediram ajuda. No primeiro contato, Belinha com seus 8 anos, fazendo o que queria não deixou que eu a tocasse e fui apresentado aos seus afiados dentes. Mesmo assim a segurei firme no colo, enquanto ela se contorcia tentado me morder, mas dessa vez sem sucesso.

shire1

Entramos no carro e a segurando firme pedi para que dirigissem e não olhassem mais para ela e nem pronunciassem o nome dela. A cada tentativa de choro e latido eu fazia o som “shiiii” e dava uma leve chacoalhada nela continuando minha conversa com seus donos.

Depois de um bom resultado resolvi que era hora de deixá-la presa pelo sinto no banco de trás e sem darmos atenção a ela continuaríamos a viagem. Seus donos, boquiabertos pelo domínio, brincaram que eu teria que ir com ele para o Rio Grande do Sul, pois eles não conseguiriam ter tal domínio sobre sua yorkshire. Coloquei Belinha no banco de trás e iniciei novo processo de correção de comportamento.

shire3

Toda vez que ela ameaça latir ou chorar eu a empurrava usando uma toalha enrolada na mão pra evitar uma mordida seguido novamente do “shiii”. Belinha logo entendeu o recado e parou, passeamos pela cidade toda e as vezes esquecíamos que estávamos com ela no carro. Depois sai do carro e seguindo minhas dicas enquanto o maridão dirigia, sua esposa fazia a correção de comportamento.

Pronto, “milagre” dizia sua dona. O que os havia incomodado por 8 anos fora resolvido em 1 hora. O problema era que Belinha latia pedindo atenção e ao gritarem seu nome faziam o que ela queria. Paramos de dizer seu nome e criamos um incomodo na situação.

shire4

Agora é desejar boa viagem aos amigos. Quem sabe um dia vou visitá-los para tomar um chimarrão um dia desses, rs!

Latindo para outros cães

latir
Numa matilha de lobos, cada membro tem um posição hierárquica. Quando se aproximam uns dos outros enviam sinais de sua posição na família humana e o modo como gostariam de ser tratados pelos outros cães.

Alguns cães fazem mais questão de enviar estes sinais. Muitas vezes mesmo quando o cão quer interagir ou brincar com outros cães este sente a necessidade de proteger a matilha e manter os intrusos afastados.

Latir, querer partir pra cima, são maneiras de mostrar ao proprietário que ele está no comando. O correto seria o dono ser este líder e impedir desde cedo as manifestações de anti socialidade. Corrigindo o filhote desde os primeiros sinais.

Levando-o para se interagir com outros cães sociais é a melhor maneira de ter um filhote alegre, feliz e que não apronte escândalos durante os passeios ao ver outro cão. Um cão adulto que faz escândalo durante as caminhadas requer uma firmeza e correção do proprietário, desviando a atenção deste cão e intervindo de maneira que ele entenda que você não aprova tal atitude.

Uma boa maneira de inciar é levando o cão a locais que tenha poucos cães, mantendo uma distância aceitável por ele e ir se aproximando a medida que o estresse abaixe e o cão pare de latir.

Cão que ladra não morde ou talvez sim!

cuuuuuuuu

Você já deve ter ouvido falar deste ditado. Na verdade não é bem assim, tudo depende da maneira que o cão esta latindo.

Cães inseguros latem desesperadamente quase perdendo o fôlego, o rabo fica baixo, às vezes entre as pernas, as orelhas ficam para trás e junto com os latidos vem aqueles pulinhos para trás, se ele estiver preso na corrente ela costuma ficar frouxa, ou seja, com “barriga” mostrando que o cão não esta fazendo força pra ir te atacar.

Já um cão confiante late compassado, respirando a cada latido sem perder o fôlego, a cauda em pé orelhas para frente peso do corpo posicionado a frente como se fosse iniciar uma corrida, se estiver preso a corrente esta fica o tempo todo tencionada, alguns arrepiam o pelo, mas mesmo os sem confiança também podem faze-lo.

O correto ao chegar na casa de alguém é pedir que o dono prenda o cão ou segure-o, pois mesmo um cão manso pode sentir o cheiro da sua adrenalina ou perceber seu medo e te atacar. Por isso ouvimos muitas histórias de donos dizendo: “nossa isso nunca aconteceu, ele nunca atacou ninguém é a primeira vez”.

Bom, cuidado, principalmente agora que vocês sabem que alguns cães que latem também mordem.

Tempo

preso1

O tempo perguntou para o tempo, quanto tempo o tempo tem…

– Dino, estou com um problema e preciso de um milagre. Eu comprei um cão e agora ele deu de ficar latindo pra tudo e no condomínio onde moro já me enviaram diversas notificações por causa do barulho. Preciso da sua ajuda para que ele pare de latir.

– Bom, senhora, vou fazer algumas perguntas para que eu tenha um diagnóstico.

– Quantos anos seu cão tem?

– 2 anos.

– Ele fica solto?

– Bom, ele fica nos dois corredores que são enormes. Um desses corredores dá acesso ao portão e ele não pode ver ninguém que destampa a latir, eu grito, berro e nada!

– Você leva ele para passear quantas vezes na semana?

– Então, eu saio de casa as 6 horas da manhã, volto em casa rapidinho para almoçar, volto pro serviço e chego umas 19 horas. Estou muito cansada, às vezes dou uma voltinha até a esquina, coisa de 15 minutos, mas eu deixo osso, garrafa, brinquedos mas ele nem da bola.

preso2

– E no final de semana?

– Não no final de semana eu quero descansar. Às vezes vou pra casa da minha mãe e fico lá o dia inteiro, só volto à tarde.

– Bom, analisando a situação, seu cão está estressado, ou seja, está cansado, entediado e o latir é uma maneira de queimar esse tédio.

– E o que eu posso fazer, Dino?

– Sair com ele todos os dias no mínimo uma hora de caminhada, providenciar brinquedos atrativos que devem ser colocados quando você sair e recolhidos quando chegar em casa.

– Sem chances Dino, não tenho tempo mesmo, não tem outra maneira?

– Sim doe ele pra alguém que tenha tempo!

– Nossa, mas ele não vai sentir minha falta?

– Bom senhora vamos ver. Se você morasse durante 2 anos num corredor, onde via a rua uma vez a cada 1 ou 2 meses, a pessoa que deveria ser sua companhia saísse as 6 da manhã e voltasse as 7 da noite e quando voltasse iria assistir TV ou dormir e a única diversão que você tivesse fosse gritar com as pessoas na rua. Você sentiria falta dessa pessoa?

… O tempo respondeu para o tempo, que o tempo tem tanto tempo, quanto tempo o tempo tem