Latindo para outros cães

latir
Numa matilha de lobos, cada membro tem um posição hierárquica. Quando se aproximam uns dos outros enviam sinais de sua posição na família humana e o modo como gostariam de ser tratados pelos outros cães.

Alguns cães fazem mais questão de enviar estes sinais. Muitas vezes mesmo quando o cão quer interagir ou brincar com outros cães este sente a necessidade de proteger a matilha e manter os intrusos afastados.

Latir, querer partir pra cima, são maneiras de mostrar ao proprietário que ele está no comando. O correto seria o dono ser este líder e impedir desde cedo as manifestações de anti socialidade. Corrigindo o filhote desde os primeiros sinais.

Levando-o para se interagir com outros cães sociais é a melhor maneira de ter um filhote alegre, feliz e que não apronte escândalos durante os passeios ao ver outro cão. Um cão adulto que faz escândalo durante as caminhadas requer uma firmeza e correção do proprietário, desviando a atenção deste cão e intervindo de maneira que ele entenda que você não aprova tal atitude.

Uma boa maneira de inciar é levando o cão a locais que tenha poucos cães, mantendo uma distância aceitável por ele e ir se aproximando a medida que o estresse abaixe e o cão pare de latir.

Esta fase passa?

shutterstock_175296782

Ouço essa pergunta sempre que alguém tem um filhote destruidores e bagunceiro. A boa noticia é que sim, a fase passa, pois filhotes crescem e amadurecem. Cada um vai criando sua personalidade, mas essa fase de moldagem de personalidade requer muita participação do dono.

Nessa fase de bagunças é importante que o dono corrija comportamentos indesejados para que não se torne uma mania permanente. Pois o cão pode encontrar no comportamento indesejado uma maneira de suprir o tédio – e – ou uma maneira de suprir a ausência do dono quando este esta trabalhando.

Alguns cães encontram nas bagunças do dia a dia uma maneira de chamar a atenção do dono tornando algumas bagunças uma forma de fazer o dono interagir, tipo pegar o tapete e sair correndo ou fugir pelo portão enquanto toda família corre atrás dele.

Por isso corrija o mais cedo possível as brincadeiras erradas e incentive as corretas.

Mãeee eu quero um cachorro!

shi

No último final de semana aconteceu em Franca a primeira feira do setor pet na cidade. Foi um grande encontro de empresários do setor pet expondo seus produtos e serviços, evento este muito bem recebido pela população de Franca.

Nesta feira além de montar o estande de meu pet apresentando produtos e serviços, levei alguns filhotes da raça Shih Tzu para venda. Entre olhares de curiosos que apenas admiravam os filhotes uma senhora com marido e o filho pequeno entraram no meu estande e me solicitando informações sobre a raça iniciando assim uma negociação para compra do filhote.

A criança estava toda entusiasmada, querendo muito aquela pequena bolinha de pelo. Sua mãe um pouco contrariada, mas como toda mãe, não querendo desapontar o filho. Entre uma conversa e outra ela disse:
– Olha meu filho você quem vai cuidar! Eu não quero nem saber!

Perguntei o nome da criança e em seguida quantos anos ela tinha. Me disse que tinha 5 anos
Então voltei minha atenção para senhora e simpaticamente, para não ofendê-la, disse:

– Não, não é ele quem vai cuidar! a senhora quem vai cuidar, colocar comida, água, recolher a fezes, levar para tomar banho, para vacinar, etc. A senhora não pode deixar toda responsabilidade para uma criança de 5 anos. Ele quem vai dirigir até o pet shop levando o filhote para o banho? Ele quem vai cuidar das datas de vacinação dele? Ele terá o cuidado de recolher as fezes do cão sem fazer bagunça?

Por isso eu sempre digo: pense bem! Você pode até dar algumas atribuições para criança e cobrar com firmeza a responsabilidade que lhe foi dada, mas não toda a responsabilidade.

Tudo isso vai influenciar no caráter da criança, ele não pode achar que todo animal é descartável. Por isso, melhor pensar bem se realmente vale a pena, se o cão vai te trazer mais alegria ou mais tristeza!

Ela olhou pro marido e disse:
-Ele tem razão! vamos pra casa e amadurecer a ideia melhor?
Uma mulher que também estava no estande me olhou de cima embaixo e quando o casal deixou o estande ela me disse:
– Você acabou de perder uma venda por ser tão franco.
Daí eu respondi:
– É! mas acabei de salvar um cachorrinho!

Paciência e persistência

1378860166_544297121_2-Fotos-de--Filhote-Sao-Bernardo

Telefone toca:

“Dino aqui é o (…). Eu tenho um cachorro e queria adestrá-lo”, fala a voz.
“O que você espera do adestramento?”, pergunto.
“Hum… O básico”, responde.
“O que seria este ‘básico’ para você?”, volto a perguntar.
“Então, queria que ele ficasse quietinho, tipo que mandasse deitar e ele ficasse ali até eu mandar sair”.

Isso é o que mais ouço quando a pessoa me liga querendo contratar serviço de adestramento. Quem tem um cão tem que estar sujeito às bagunças, pois são filhotes, estão conhecendo o mundo e ainda não conhecem a linguagem dos donos, ou seja, a linguagem da nova família.

cachorro-de-pelucia-que-respiramO que acontece é que nem todo mundo tem paciência para ter um cão e querem que cães de 60, 120 dias haja como cães de 5, 6 anos, sendo que alguns são eternos filhotes.

Tenha paciência, eduque e se preciso for, repeti. A paciência e a persistência são a chave do aprendizado para um cão. No mais, se não tiver a paciência, compre um cachorro de pelúcia, coloque-o num cantinho, dê o comando FICA e vai ver o quanto ele é obediente.