Indignado com a indignada

shutterstock_145077274

Esta semana recebi uma ligação de uma mulher que solicitava minha ajuda. Veja como foi nossa conversa:

– Alô, é o Dino?
– Sim
– Peguei seu telefone na rádio, é o seguinte: tem um cachorro aqui na avenida que está a dois dias atropelado e agonizando. Eu já liguei na Vigilância, já liguei na policia, já liguei na radio, já liguei numa ONG e ninguém pode ajudar, o que que eu faço? O que você pode fazer por mim? Ele está lá até agora nem levanta a cabeça.
– Bom senhora, os grupos de ajuda estão todos lotados infelizmente não estamos podendo pegar mais cães a senhora terá que resgatá-lo levar numa clinica.
-Nãããooo! eu num posso gastar dinheiro com cachorro!
– Mas eu também não posso senhora. Minha cota de ajuda já está transbordando.
– Então para que passaram seu telefone se você não pode ajudar? Pode deixar então vou ver quem pode!

Desligado o telefone esta foi até o Facebook e postou toda sua indignação pela falta de ajuda ao pobre cãozinho que a 2 dias agonizava na avenida e ainda dizendo que falou com todo mundo inclusive com um adestrador e que ninguém podia ajudar. Onde já se viu ninguém poder ajudar o pobre cãozinho???

Bom, o cão foi resgatado pela minha amiga Marina da clinica de castração Turma do Abrigo, mas o que foi relatado não condizia com a situação do cão. Realmente estava com a para fraturada, mas agonizando? Não. Agora ele está sob cuidados do veterinário voluntario e logo a caminho da adoção.

Quero dizer aqui para as pessoas indignadas que se sentar na frente do computador e gastar créditos e a unha discando números, pedindo ajuda não vai torná-lo(a) um protetor ou protetora. Ficar se dizendo indignado(a) porque ninguém consegue fazer algo por um cão não ajudará em nada.

Difícil entender como a pessoa vê um cão ferido e a única coisa que faz é ficar digitando números e brigando com pessoas que realmente fazem algo pela causa animal. Aposto que essa senhora nunca visitou um feirinha de adoção, nunca comprou uma pizza pra ajudar num tratamento de um cão, se quer contribuiu com uma cirurgia de castração e, digo mais, não vai oferecer nada de ajuda a quem resgatou esse cão.

Grupos de ajuda são voluntários. Eles não recebem nada do governo. Vivem de donativos, promoções, bazares e outros meios.

Então se você quer ajudar procure se informar, contribua, compre as pizzas, participe dos bazares, ofereça ajuda ao invés de se indignar com quem faz tanto.

Anúncios

Bicho Feliz

dino1

Vejo muitas pessoas dizendo: “tanta criança passando fome e esse pessoal gastando dinheiro com animal de rua”.

Segundo a ONU, “o voluntariado traz benefícios tanto para a sociedade em geral como para o indivíduo que realiza tarefas voluntárias”. Ele produz importantes contribuições tanto na esfera econômica como na social e contribui para a uma sociedade justa.

Existem diversos voluntários ou entidades no Brasil e no mundo que cuidam de causas humanas. Porque não existir entidades ou voluntários cuidando dos animais?

Hoje em dia com aumento de animais de rua cuidar desses animais passou a ser caso de saúde pública e isso seria obrigação do governo, mas se para cuidar da sociedade humana o governo faz tanto descaso, imagine para animais. Por isso, o minimo que podemos fazer é ser a voz deles.

dino2

Trabalho de maneira voluntária ajudando um grupo aqui de Franca chamado “Bicho Feliz”. Esse grupo realiza trabalhos constantes de ajuda a animais de rua, conseguindo tratamentos, castrações, ajuda veterinária, lar provisório.

Sua despesa mensal chega a R$7000,00 e essa despesa são pagas, por doações, organizando bazares, pedágios de ajuda, jantares e outros eventos. Graças a garra dessas garotas, um belo trabalho tem sido feito na cidade.

Mantendo uma página no Facebook, elas também contribuem ajudando no que for possível. Pessoas que perderam ou encontraram cães de rua, animais debilitados que precisam de ajuda, etc.

Quem tiver interesse em ajudar esse grupo bacana, acesse a página deles no Facebook, entre em contato e colabore. Faça a sua parte, vamos lá! Faça um Bicho Feliz!