Retrospectiva 2014

shutterstock_222753910
Quando se fala em retrospectiva logo vem à mente: Ebola, Copa do Mundo, falta de água, acidentes, morte de pessoas famosas. Mas a minha Retrospectiva 2014 será focada nos fatos curiosos do mundo animal que aconteceu neste ano que está no seu fim.

Sobre os inúmeros vídeos de animais engraçadinhos, cachorrinhos, gatinhos, entre outros, também tivemos inúmeras denuncias de abandono, animais torturados, mortos, espancados, mas esses também não quero lembrar, pois estiveram na mídia por muito tempo.

Vou lembrar de casos que passaram despercebidos por muitos.

Em janeiro, uma nova espécie de golfinho foi descoberta no Amazonas e batizada de Boto Araguaia, pois foi encontrado no rio Araguaia. Essa é a quinta espécie de golfinho de rio descoberta no mundo. Acredita-se que existam mais ou menos mil animais dessa natureza. Mas espera, se ainda não foram descobertos como sabem que existem? Bom, vou dar a ideia de pesquisarem no Tietê, lá sim precisa de vida, rs.

Para você que achava que o animal mais rápido do mundo era a Chita se enganou. Em 2014, foi descoberto que o Paratarsotomus macropalpis é mais rápido. Não sabe quem é? É um ácaro que consegue realizar trezentos e vinte e dois movimentos corporais por cada segundo! A Chita só consegue dezesseis…

“Tá bom Dino, mas isso é um inseto!” – então vou compará-lo com o besouro-tigre australiano que perdeu o posto de animal mais rápido. Afinal, ele só consegue fazer cento e setenta e um movimentos corporais por segundo. Se você não acha grande coisa, eu te pergunto: e você, quantos consegue, hein?

Em maio foi descoberto fósseis de dinossauros de 40 metros! Imagina, isso é ouro para um cãozinho, rs! Outro descobrimento interessante foram de fósseis de répteis voadores no Brasil.

O nome dado à espécie é Caiuajara dobruskii. Caiu mesmo, rs! Eles moravam na região sul do Brasil há 100 milhões de anos aproximadamente. Disseram que tinham um bilhete escrito: “Entro em extinção, mas num moro no Brasil”, rs! Brincadeirinha ; )

Ótimo 2015 para todos!

Anúncios

Após ataque na semana passada, rottweiller vira assunto nas redes sociais

rott2

A história do rottweiler que atacou a criança em Patrocínio Paulista gerou muito debate nas redes sociais. Mas muitos desses debates viraram ataques pessoais onde pessoas defendem suas opiniões com unhas e dentes.

Meu Facebook choveu de perguntas sobre a raça e vou aproveitar este espaço para responder a algumas delas.

O rottweiler foi criado em laboratório?

Não! O rottweiler é uma das raças mais antigas que se tem notícia. Há relatos de rottweilers acompanhando legiões romanas nos Alpes, servindo de guarda para homens e ajudando na condução do gado. O rottweiler herdou seu nome da antiga cidade de Rottweil: Rottweiler Metzgerhund (Cão de açougueiro de Rottweil – uma vez que os açougueiros criavam a raça com a única finalidade de trabalho). O fato de ter chegado ao Brasil em 1970 não quer dizer que ele veio de outro mundo ou de um tubo de laboratório.

 

O rottweiler é uma raça agressiva?

Não! O rottweiler tem uma personalidade marcante, ele é apegado ao dono, mas indiferente com estranhos. Sua maturidade é atingida aos dois anos por isso a maioria dos ataques se dá nessa idade onde donos não estão atentos aos sinais de que o cão chegou a idade adulta. Essa falta de liderança faz com que o cão a assuma.

 

Posso criar meu rottweiler com crianças?

Sim, como qualquer outro cão! Mas nunca se deixa uma criança sozinha com um cão de guarda, não por não confiar no cão, mas sim por não confiar na criança.

 

Mas alguns rottweilers são agressivos. Por quê?

Quando se é criador sério o mesmo preza pelas características não somente físicas, mas psicológicas do cão. Por isso, cães sem linhagem, comercializados de forma indiscriminada por criadores de fundo de quintal, que não submetem seus cães a testes de temperamento através de provas práticas de adestramento, recebendo um certificado que habilita o cruzamento, sempre terão maior chances de estar na mídia como “cães assassino”.

 

Devo mandar adestrar meu rottweiler?

Sim! Mas lembre-se um mal profissional também pode machucar o seu cão.

 

Que perfil precisa ter um proprietário de rottweiler?

Ter liderança, não ter medo, conhecer o animal que tem, sua linguagem de sinais, ter condições financeiras para mantê-lo, tempo para promover exercícios físicos e socialização.

 

O que você diria para as pessoas que querem exterminar a raça?

Não diria nada, pessoas que pensam em exterminar são incapazes de criar, pessoas assim podem num instante acabar com uma vida ou acabar com a própria vida. Por não conseguirem criar ideias de mudança, conviver ou pelo simples fato de terem dificuldade de entender.

Os cães ladram e a caravana passa (rs)!!!