Correção ou crueldade?

As pessoas me perguntam qual é a maneira certa para corrigir – na medida certa e na linguagem do cão – comportamentos indesejados do seu cão. Seria através do toque, empurrão ou até mesmo colocando o cão numa posição submissa pode ser eficaz?

Bom, vejamos! A linguagem correta para se utilizar com cães, inclui postura, posicionamento do corpo e às vezes contato corporal.

puni1

Alguns cães corrigem seus filhotes de uma maneira bruta, muitas vezes com mordidas violentas, tudo isso para estabelecer uma hierarquia e respeito entre a matilha. Por isso muitas vezes mostrar sua força, colocando e segurando o filhote de maneira submissa de barriga para cima reforça sua liderança. Um “cutucão” no filhote seguido de um NÃO tem um efeito surpreendente na correção de algum ato indesejado.

Algumas correções consistem em criar uma situação incomoda para que o ato do cão pare. Por exemplo:

puni4

Não quero que ele me pule. Então quando ele me pular posso segurar suas patas e não deixá-lo descer e esperar que ele implore para descer. Se você fizer isso, certamente ele vai achar a brincadeira chata e irá parar. Você pode “cutucar” os ombros do cão com as pontas dos dedos seguido do NÃO para incomodá-lo e reprimir a atitude.

Tome por exemplo algumas cadelas, mãe dos filhotes, quando está comendo e os filhotes se aproximam, mostra os dentes, depois rosna e em seguida ela mordisca o focinho deles, às vezes doido, e eles se afastam.

puni3

Note que no outro dia quando se aproximam ela apenas rosna e estes já se afastam. Depois de alguns dias ela apenas mostra os dentes sendo esse o sinal de “não quero isso agora”. Note que a mãe mostrou, o sinal (os dentes a mostra), o som (rosnado), e a correção com toque (a mordiscada) depois retirou o toque em seguida o som deixando apenas o sinal visual.

Tapas no bum bum, fechar o focinho com a mão apertando e batendo não são linguagem reconhecidas pelos cães e isso sim é cruel. A mordiscada simulada com as pontas dos dedos é melhor assimilada pelos filhotes.

puni2

Mas lembre-se se usada de maneira errada pode causar resistência no cão. Por isso se tem dúvida, contrate um profissional para lhe mostrar a maneira correta e a intensidade a ser feita. E cuidado, num cão grande nem tente fazê-lo, pois se ele quiser disputar a hierarquia com você, o cão pode lhe avançar.

Anúncios

Isso que é ‘adestrador’!

cao
Recebo muitos vídeos de animais fazendo coisas que as pessoas ficam pasmas com tamanha inteligência. Um dos últimos que recebei veio com a seguinte frase: “veja Dino, isso que é adestrador”. As imagens mostram uma cadela olhando uma bicicleta, e o que tudo indica, o fato se passa na China. No vídeo ela está sentada parecendo vigiar a bicicleta de seu dono e quando este se aproxima, ela sobe sozinha na garupa e segue caminho deixando quem passa por ali de boca aberta. O vídeo ganhou uma grande repercussão mundial

“Que lindo!”, “o cão é fiel mesmo!”, “Deus abençoe!” e outras palavras lindas são definidas nos comentários dos internautas.

Fiquei pasmo, pois num país onde cães servem de alimento, encontrar imagens de ternura e companheirismo entre cão e dono é algo raro.

Mas o que parecia ser lindo tem um desfecho horrível. Eis que recebo as imagens verdadeiras onde o dono está agredindo a cadela que talvez por algum motivo o desobedeceu. Ele o faz ali mesmo na rua sem compaixão sob os olhos das pessoas. Um adestrador de verdade não precisa usar de tamanha crueldade para ensinar truques a um cão. Um adestrador de verdade tem que ter dentro de si uma grande paciência, conhecer seu “aluno”, saber suas limitações, aprender com o aluno também faz parte. Um adestrador de verdade possui uma cumplicidade com seu aluno e um respeito para com o dono do cão.

O verdadeiro adestrador passa a verdadeira confiança a ambos, aluno e proprietário.

E confiança é um ato de fé e este dispensa raciocínio.