Armagedon

Lola e bagunça que ela aprontou

Lola e bagunça que ela aprontou

Ao acordar, nesta segunda, me deparei com uma cena que não via a muito tempo na minha casa: uma bagunça sem limites foi feita por minha labradora Lola. Ela é a mais nova integrante da família e está em processo de adestramento.

Com a chuva, é quase impossível sair com ela para cansá-la, pois ela é uma cadela jovem e precisa de exercícios físicos, se não é destruição na certa. Por isso, para não acontecer o que aconteceu comigo, rs, segue algumas dicas para época de chuva.

Se possível exercite o cão com brinquedos interativos. Forneça ossos para roer, jogue bolinha para ela correr e, principalmente, mantendo objetos afastados.

Cães em época de chuva ficam muito entendiados e na primeira oportunidade destroem o que veem pela frente.

Bom, agora vou lá juntar a bagunça, rs.

Anúncios

Roupas no Varal

shutterstock_24091723

Cães aprendem de tudo, mas nada como a bagunça, isso é o que aprendem com maior facilidade. Muitos aprendem observando outro cão ou até mesmo o próprio dono. Não, espera, o próprio dono? Sim, é verdade! O maior exemplo disso é quando dono vai no jardim e planta alguma coisa. O cão observa de longe e, quando o dono se ausenta, aquele vai ver o que foi enterrado ali e iniciando uma série de buracos.

Com as roupas no varal é a mesma coisa. Ele vê o dono as pendurando e quando este sai de perto ele vai e as puxa. O que ele faz ali é treinar sua caça fazendo um cabo de guerra com a roupa e pulando nela quando o vento a balança. Quer brinquedo melhor para um cão??? Daí surge a pergunta: por que quando estou em casa ele não pega as roupas no varal?

Simples, você está lá e o corrigiu. Ele sabe que pegar roupa na sua presença é errado. Mas ninguém o corrigiu na sua ausência. Por isso o que vou ensinar aqui se chama correção indireta, ou seja, é a correção sem associar à presença do dono.

Pegue uma lata de tinta 18L vazia. Coloque latinhas de cerveja ou refrigerante dentro (ótima desculpa para tomar umas, rs!). Coloque em cima do muro, telhado ou algo próximo ao varal. Amarre-a num pano velho estendido no varal. Quando o cão puxar a “armadilha” irá cair, causando um incômodo no cão que irá associar o barulho e o susto ao ato de pegar roupas na sua ausência.

Mas veja bem! É importante que o cão não veja que você fez a armadilha, pois se ele notar a presença do barbante ele ira puxar somente quando a armadilha não estiver armada! Este tipo de correção (indireta) pode te dar várias ideias para corrigir comportamentos que são feitos na sua ausência.

Ps: Fala a verdade, a ideia do uso da latinha de cerveja foi boa, num foi???

Nasus, o incompreendido

nasus

Nasus é um border collie como qualquer outro. Inteligente, pastoreador e bagunceiro. Até ai tudo bem, mas o que ninguém entendia era porque Nasus estava odiando crianças.

Um cão pode se dar bem com tudo que lhe é apresentado de maneira amigável e tranquila. Infelizmente, Nasus não tinha em mente o conceito criança como algo bom.

Todas que passam em frente a sua casa o insultavam. Ele não conhecia nenhuma criança fora de sua família que não fosse pentelha. Resolvi levar Nasus até a porta da escola ao final da aula e corrigi-lo toda vez que quisesse avançar.

Depois de algumas aulas era hora de Nasus ter contato com uma criança, e quem levei? Meu filho Fellipe, claro! Acostumado com pit bulls e rottweilers, Fellipe não mostraria medo e passaria confiança e respeito.

Não poderia ter sido melhor! Nasus aprendeu que existem crianças de bem. Nascia ali uma grande amizade.

Esta fase passa?

shutterstock_175296782

Ouço essa pergunta sempre que alguém tem um filhote destruidores e bagunceiro. A boa noticia é que sim, a fase passa, pois filhotes crescem e amadurecem. Cada um vai criando sua personalidade, mas essa fase de moldagem de personalidade requer muita participação do dono.

Nessa fase de bagunças é importante que o dono corrija comportamentos indesejados para que não se torne uma mania permanente. Pois o cão pode encontrar no comportamento indesejado uma maneira de suprir o tédio – e – ou uma maneira de suprir a ausência do dono quando este esta trabalhando.

Alguns cães encontram nas bagunças do dia a dia uma maneira de chamar a atenção do dono tornando algumas bagunças uma forma de fazer o dono interagir, tipo pegar o tapete e sair correndo ou fugir pelo portão enquanto toda família corre atrás dele.

Por isso corrija o mais cedo possível as brincadeiras erradas e incentive as corretas.