Respire

Gizelda e Lila são prova de que respirar é o que um líder precisa para equilibrar as emoções e passar confiança

Gizelda e Lila são prova de que respirar é o que um líder precisa para equilibrar as emoções e passar confiança

Sempre digo para meus clientes: “respire”! A respiração durante exercícios de liderança faz com que o cão sinta que você esta sob controle emocional.

É muito comum vermos donos dar ordens zangado ou com tom de voz descontrolado. Se até eu consigo identificar frustração na voz do proprietário quando ele agi assim, imagine o cão, rs.

Por isso, quando a pessoa respira fundo antes de dar um comando este controla os batimentos cardíacos, o nivel de adrenalina e a firmeza da voz.

Outro grando problema é ficar repetindo insistentemente o comando não deixando o cão processar o pedido. Portanto, antes de cada comando, controle a respiração.

Anúncios

Armagedon

Lola e bagunça que ela aprontou

Lola e bagunça que ela aprontou

Ao acordar, nesta segunda, me deparei com uma cena que não via a muito tempo na minha casa: uma bagunça sem limites foi feita por minha labradora Lola. Ela é a mais nova integrante da família e está em processo de adestramento.

Com a chuva, é quase impossível sair com ela para cansá-la, pois ela é uma cadela jovem e precisa de exercícios físicos, se não é destruição na certa. Por isso, para não acontecer o que aconteceu comigo, rs, segue algumas dicas para época de chuva.

Se possível exercite o cão com brinquedos interativos. Forneça ossos para roer, jogue bolinha para ela correr e, principalmente, mantendo objetos afastados.

Cães em época de chuva ficam muito entendiados e na primeira oportunidade destroem o que veem pela frente.

Bom, agora vou lá juntar a bagunça, rs.

Medo

cao medo

É bastante comum eu receber ligações de donos dizendo que seus cães desenvolveram um medo inexplicável da chuva ou até mesmo medo de não se sabe o que. Isso mesmo, alguns cães, do nada, começam a ficar ofegantes e babar, tremer, andar em círculos, etc.

Vale lembrar que alguns cães que sofrem de epilepsia podem ter crises quando estão com medo. Alguns nem chegam a convulsionar, mas ficam ofegantes e com sintomas de medo, pupilas dilatadas, tremores e andando de um lado pro outro.

Para alguns basta o tempo fechar para a sessão de tortura começar. Mas porque isso acontece?

Bom a maioria dos casos que presenciei, o cão tinha passado por um momento difícil durante uma tempestade e seus donos não estavam em casa. Foram barulhos, vento e chuva que causaram medo no cão. Mas há também problemas genéticos que fazem o medo se desenvolver um pouco mais tarde no cão.

É importante acostumar o cão desde pequeno a barulhos, estouros, estampidos para que ele encare de maneira natural esses barulhos. Uma brincadeira legal é colocar balões cheios de petisco para que o cão os estoure e a cada explosão ele seja recompensado.

É importante agir de maneira natural perto do cão. Isso inclui não acariciá-lo, pois tentando acalmá-lo você esta reforçando o comportamento.

Lembre-se associe situações boas e agradáveis a toda situação de barulho extremo ou ao menor sinal de tensão ou com medo. Caso esteja vendo que a situação esta piorando converse com veterinário ou adestrador!

Latidos durante a caminhada

latido-cachorro-poodle

Numa matilha de lobos, cada membro tem uma posição hierárquica. Quando se aproximam de outros, estes passam informações de sua posição na matilha.

O cão que você tem carrega essa informação no DNA e alguns fazem questão de passar essa informação aos demais cães em sua volta.

Se seu cão ao sair late para todos que se aproximam ou estão no seu campo de visão, este pode estar passando a informação de que é um líder dizendo que está ali para mandar e marcar o seu território.

Mas os latidos podem ser um sinal de medo. Latir pode ser uma maneira de blefar, fingindo ser um cão dominante. Tudo depende da maneira com que seu cão esta posicionado durante a caminhada.

Tudo depende de como os criamos

caes

Algumas raças foram criadas para gerarem ferozes cães de guarda, briguentos e protetores, mas nenhum deles são ferozes por natureza. Foram geneticamente cruzados para isso acentuando personalidades.

O espírito natural do cão é guardar e proteger sua família, seja ela canina ou humana. Quando ameaçados é do seu instinto se defender. Basta que sejam criados de maneira correta, devidamente socializados e equilibrados para terem capacidade de avaliar se uma situação é realmente perigosa ou não.

Por isso se não são treinados ou educados para avaliar tal situação o intuito é atacar qualquer coisa mesmo que inocente.

Muitos cães se tornam assassinos porque aprendem a ter medo e, geralmente, este medo surge quando uma pessoa o mal-trata ou o negligencia.

Temos que lembrar que o ser humano é quem carrega o livre arbítrio e ele pode moldar o cão e decidir que tipo de companheiro quer.

Quando a idade pesa

cachorro-velho

Quando você menos espera a idade já chegou para o seu cão.

É tão rápido que você nem percebeu que aqueles dias de destruição e brincadeiras se foram e deram lugar a passividade a longos cochilos durante o dia e perda de sono durante a noite, um pouco de surdez, perca da massa muscular, mudança de cor da pelagem, etc.

É hora de ter em mente que você tem um senhor em casa. O primeiro passo é a troca da ração. Existem rações destinadas a cães acima de 5 ou 7 anos com nutrientes diferentes e necessários para esta nova fase.

Mais atenção e cuidados serão necessários, pois cães mais idosos, digamos acima de seus 12 anos, podem desenvolver incontinência urinária, errar o local do xixi, perder o apetite, ter algumas reações de demência como uivar ou latir para o nada entre outros comportamentos estranhos.

Também se fará necessário aumentar as visitas ao veterinário, diminuir as caminhadas, checar a existência de tumores, baixa de globos vermelhos, anemias e possível formação de tártaro nos dentes que atrapalhem a alimentação, etc.

Mas o mais importante é ele poder contar com sua lealdade e paciência para que ele saiba que a dedicação que ele te deu durante anos não tenha sido ele vão e assim ele termine a vida sabendo que teve sua missão cumprida.

Não abandone quem esteve ao seu lado todo esse tempo!

Indignado com a indignada

shutterstock_145077274

Esta semana recebi uma ligação de uma mulher que solicitava minha ajuda. Veja como foi nossa conversa:

– Alô, é o Dino?
– Sim
– Peguei seu telefone na rádio, é o seguinte: tem um cachorro aqui na avenida que está a dois dias atropelado e agonizando. Eu já liguei na Vigilância, já liguei na policia, já liguei na radio, já liguei numa ONG e ninguém pode ajudar, o que que eu faço? O que você pode fazer por mim? Ele está lá até agora nem levanta a cabeça.
– Bom senhora, os grupos de ajuda estão todos lotados infelizmente não estamos podendo pegar mais cães a senhora terá que resgatá-lo levar numa clinica.
-Nãããooo! eu num posso gastar dinheiro com cachorro!
– Mas eu também não posso senhora. Minha cota de ajuda já está transbordando.
– Então para que passaram seu telefone se você não pode ajudar? Pode deixar então vou ver quem pode!

Desligado o telefone esta foi até o Facebook e postou toda sua indignação pela falta de ajuda ao pobre cãozinho que a 2 dias agonizava na avenida e ainda dizendo que falou com todo mundo inclusive com um adestrador e que ninguém podia ajudar. Onde já se viu ninguém poder ajudar o pobre cãozinho???

Bom, o cão foi resgatado pela minha amiga Marina da clinica de castração Turma do Abrigo, mas o que foi relatado não condizia com a situação do cão. Realmente estava com a para fraturada, mas agonizando? Não. Agora ele está sob cuidados do veterinário voluntario e logo a caminho da adoção.

Quero dizer aqui para as pessoas indignadas que se sentar na frente do computador e gastar créditos e a unha discando números, pedindo ajuda não vai torná-lo(a) um protetor ou protetora. Ficar se dizendo indignado(a) porque ninguém consegue fazer algo por um cão não ajudará em nada.

Difícil entender como a pessoa vê um cão ferido e a única coisa que faz é ficar digitando números e brigando com pessoas que realmente fazem algo pela causa animal. Aposto que essa senhora nunca visitou um feirinha de adoção, nunca comprou uma pizza pra ajudar num tratamento de um cão, se quer contribuiu com uma cirurgia de castração e, digo mais, não vai oferecer nada de ajuda a quem resgatou esse cão.

Grupos de ajuda são voluntários. Eles não recebem nada do governo. Vivem de donativos, promoções, bazares e outros meios.

Então se você quer ajudar procure se informar, contribua, compre as pizzas, participe dos bazares, ofereça ajuda ao invés de se indignar com quem faz tanto.