O amor verdadeiro

lucky

Numa quinta feira, dia 22 de Julho de 2010, fiz uma apresentação com palestra no SESI, para crianças da colônia de férias, o tema era: “amor verdadeiro”.

Eu falava das mais diferentes formas de amor e suas vertentes. Levei meu filho Fellipe comigo que sentado com as outras crianças me olhava e ouvia atentamente. Após a palestra, fiz uma breve apresentação com Andora.

No final, contei que minha rottweiler Kaoma estava muito doente e ela era o motivo de eu estar ali fazendo aquela palestra. Kaoma pra quem não sabe foi minha primeira cadela terapeuta, uma rottweiler. Hoje meu projeto leva seu nome em homenagem a ela.

Contei um pouco de nossa tragetória, de nossa luta para chegar onde estou. Num dado momento minha voz trêmula e embargada foi coberta por silenciosas lágrimas que caiam de meus olhos.

Os aplausos das crianças que assistiam deixavam o ambiente ainda mais emocionante. Corri os olhos ainda embaçados na plateia pra ver se via meu filho, pois era a primeira vez que eu o deixava me ver chorando.

Então vi quando Fellipe se levantou caminhou até mim, me abraçou, me puxou para baixo e disse no meu ouvido: “Muito bem pai, parabéns, foi muito bom, te amo!”. Meu peito apertava, sensação de que iria explodir, depois mais calmo tive a certeza que estava tomado totalmente por um amor verdadeiro…

Anúncios

Latindo para outros cães

latir
Numa matilha de lobos, cada membro tem um posição hierárquica. Quando se aproximam uns dos outros enviam sinais de sua posição na família humana e o modo como gostariam de ser tratados pelos outros cães.

Alguns cães fazem mais questão de enviar estes sinais. Muitas vezes mesmo quando o cão quer interagir ou brincar com outros cães este sente a necessidade de proteger a matilha e manter os intrusos afastados.

Latir, querer partir pra cima, são maneiras de mostrar ao proprietário que ele está no comando. O correto seria o dono ser este líder e impedir desde cedo as manifestações de anti socialidade. Corrigindo o filhote desde os primeiros sinais.

Levando-o para se interagir com outros cães sociais é a melhor maneira de ter um filhote alegre, feliz e que não apronte escândalos durante os passeios ao ver outro cão. Um cão adulto que faz escândalo durante as caminhadas requer uma firmeza e correção do proprietário, desviando a atenção deste cão e intervindo de maneira que ele entenda que você não aprova tal atitude.

Uma boa maneira de inciar é levando o cão a locais que tenha poucos cães, mantendo uma distância aceitável por ele e ir se aproximando a medida que o estresse abaixe e o cão pare de latir.

O que é desvio de comportamento?

lisa4

Lisa é uma daquelas cadelinhas que já nasceram rejeitadas e por isso sempre apresentou um medo incomprendido por seus donos Vanessa e Gabriel, que adotaram-na ainda filhotinha numa feirinha de cães

Desde filhote ela tremia muito, sempre com rabinho entre as pernas e o casal sempre tentando encontrar uma solução para tal problema levando-a ao veterinário sempre que ela tremia. Lisa sempre morou com Thor um labrador preto lindo bagunceiro, amigável o que ajudava no controle emocional de Lisa.

Gabriel e Vanessa resolveram contratar meus serviços e iniciamos um adestramento diferente socializando com outros cães. Lisa foi aprendendo a lidar com o medo, mesmo assim era uma cadela imprevisível e às vezes se assustava com barulhos, pessoas que andavam atrás dela e até mesmo o barulho do vento forte.

lisa5

Lisa fugiu no dia 25 de março num daqueles atos repentinos onde a pessoa que foi buscá-la para um banho não esperava e em disparada sem rumo atravessou a Avenida Alonso y Alonso em Franca próxima a rotatória dos antigos calçados HB – hoje MRV – sumindo entre o matagal que ali se encontra.

Mas porque sabemos que Lisa tinha um desvio de comportamento? Desvio de comportamento num cão pode ser considerado quando o mesmo foge as regras de socialização de matilha ou característica de uma determinada raça. Por exemplo: o padrão da raça, por exemplo da Rottweiler, pede para que o cão seja de temperamento firme, sociável e ao mesmo tempo desconfiado com desconhecidos sem medo de barulhos ou tímido. Um cão da raça Boder Colie deve ser ativo brincalhão com vontade de pastorear. Um Labrador tem que ser alegre, amigável sem medo, carinhoso.

Tudo que fugir do temperamento exigido pela raça é considerando um desvio de comportamento. Um Rottweiler medroso, um Boder preguiçoso um labrador agressivo seriam cães com desvio de comportamento. Mas e Lisa, de que raça ela é?

lisa3

Lisa era uma mistura que ao certo não se sabe, pelagem tigrada, peito branco, pelas características ela tinha um pouco de Fila, Pit Bull e até mesmo Boxer. Cruzamentos assim podem gerar cães com desvios de comportamento, ao mesmo tempo que pode acentuar uma qualidade pode acentuar um problema.

Por isso é importante que cães sem raça definida sejam castrados. Aliás, não somente os sem raça, mas todo cão cujo dono o quer apenas para companhia e não criação, deveria ser castrado evitando assim cruzamentos errados ou com outros cães com desvio de comportamento. Sabendo disso Gabriel e Vanessa já haviam mandado castrar Lisa.

Fique atento ao seu cão, geralmente ele pode apresentar algum desvio de comportamento mais tarde nos machos quando entram na fase adulta e nas fêmeas logo após o primeiro cio. Medos, pânicos, agressividade em demasia, hiperatividade, tudo em excesso pode ser considerado desvio de comportamento. Procure um profissional e avalie seu cão.

lisa2

Quanto a Lisa?!, ainda estamos a sua procura, se você a ver ligue (16)99972-9217 e fale comigo.

Obrigado!

Sobre o autor

Dino e cadela Andora

Dino e cadela Andora

Adoniran Thomaz, mais conhecido como Dino Adestrador, nasceu em Piumhi (MG)Aos 9 anos veio seu sonho de ser adestrador depois de assistir uma apresentação de cães da Policia Militar. Hoje é especialista em comportamento canino, adestramento básico, show dog e guarda. Para tanto, cursou Zooterapia na USP de Pirassununga (SP). Um dos seus principais projetos é o Kaoma, que leva cães adestrados a asilos, creches e escolas de Franca e região. O profissional ministra ainda palestras nas áreas de comportamento canino e posse responsável de animais.

A história de seu primeiro cão terapeuta é contada por Dino no livro “Um Anjo Chamado Kaoma”.

Há mais de um ano, o adestrador mantém na Difusora AM, junto com sua irmã Desiré e o locutor Fernando Calixto, o programa MPB Especial.

Neste blog é possível encontrar dicas, histórias, experiências e tudo sobre o mundo animal, de uma maneira simples e descontraída.