Pitú

_MG_7919 _MG_7910

Nome comum de especies de camarões no Brasil, ou, se preferir, uma forma carinhosa de se referir a quem você ama, uma palavra de carinho.
Pitú. Esse é o nome dado esse lindo cão.
Infelizmente ele não é mais o amor de alguém, pois seu dono faleceu e levou com consigo o amor de Pitú.
Pitú só conheceu na vida uma pessoa. Morava numa oficina que construía aparelhos para academias. Nunca viu rua ou estranhos, tinha espaço, boa ração, vacinas em dia.
No dia que seu dono não mais voltou, Pitú entrou debaixo de uma escada de concreto e não saiu pra mais ninguém. Entrou em depressão, não comia, não bebia, se vê uma pessoa estranha corre para entrar no seu cubículo, suas pupilas dilatam e ele treme até que a pessoa vá embora. Mas se você fizer carinho, ele apenas fica quieto; não rosna, não tenta morder.
Pitú esta comigo. Geralmente fica ali encolhido, depressivo. Consegui que ele voltasse a comer e até arriscar uma caminhada perto de mim, mas ele ainda tem medo de tudo e todos. Estou socializando Pitú aos poucos, fazendo testes pra ver se ele poderá viver numa nova família e, ao que tudo indica, Pitú precisa apenas de carinho e atenção. É totalmente manso.
Hoje de manhã escutei uns ganidos. Fui até o canil…
Pitú estava em um sonho. Talvez sonhando com seu dono que morreu, ou talvez sonhando com o futuro que o espera. Coloquei-o no colo e ele, estranhando a atitude com as pupilas dilatadas de medo, foi relaxando e depois dormiu tranquilamente.
Cães também sonham. Pena que não nos contam……assim ao invés de confidenciarmos apenas nossos segredos com eles, poderíamos dividir, ajudar a carregar o fardo.
Pitú continua à procura de um dono que ele possa escutar……..Por enquanto, vou fazendo o possível!!

Quem se interessar pelo Pitú pode ligar para (16)99972-9217

Obrigado!
Dino Adestrador

Anúncios

Quanto vale um cão?

378726D3-60FC-4797-9EB0-38A09FC59D4801202012_Dogs_Money_article
Vale o sono perdido
O objeto destruído
O amor correspondido.

Vale a lambida na face
O sono perdido…
É o sol que já nasce,

Vale a roupa rasgada
A atitude folgada
A rosnada intrigada

Vale o xixi no tapete
O latido em falsete
Meu Deus! que valor é este?

Vale o tempo que passa
A juventude escassa
O coração…que descompassa

Vale o grito entalado
Um choro engasgado
Um tempo apagado…

“Um cão vale muito mais do que nós normalmente estamos dispostos a pagar”

Obrigado,
Dino Adestrador

Medo de que?

Foto-1-texto-som-alto

O medo é uma sensação que proporciona um estado de alerta evidenciado pelo receio de fazer alguma coisa, geralmente por se sentir tanto fisicamente como psicologicamente ameaçado.
Nos animais ele também é presente, e para todos os seres vivos o medo faz parte da sobrevivência. O medo te faz ponderar em tomar atitudes por impulso ou reconhecer um perigo iminente.
Existem, entretanto, cães que podem desenvolver um medo descontrolado, que pode ser hereditário ou provocado pela maneira com que o dono trata seu cão. Durante a fase de desenvolvimento do cão É importante socializá-lo e mostrar a ele o mundo. Esta fase fica entre os 6 e 12 meses de idade do animal e acostumá-lo a barulhos, pessoas e objetos estranhas farão dele um cão tranquilo e corajoso.
Nesta fase qualquer demonstração de medo não deve ser corrigida com carinho, pois tentar acariciar o cão quando este está amedrontado pode reforçar seu comportamento negativo. O melhor a se fazer é deixá-lo perceber que não há perigo, e quando ele se acalmar incentivar aquele momento em que ele se encontra relaxado.
Evite a cruza de cães medrosos ,pois isso pode acentuar o comportamento medroso nas crias e incentive a curiosidade do seu cão, principalmente quando ele se mostrar corajoso.

cachorro-fogos

Obrigado!
Dino Adestrador

Dependentes

Beagle Dog Barking

Para sobreviver, todos os animais precisam encontrar comida, água e abrigo. Para isso, precisam aprender a se deslocar no espaço em que vivem. Ao domesticarmos o cão, passamos a suprir todas essas necessidade básicas e assim os tornamos muito dependentes de nós, fazendo com que sua sobrevivência nas ruas fique quase impossível.
Não raro encontramos cães de ruas totalmente selvagens, que nascidos neste ambiente aprenderam a se virar e encontrar sua água, comida e abrigo, aprendem a fugir do perigo e a sobreviver na chamada selva de pedra, mas o seu cão doméstico que fugir não terá muita sorte, até seus instintos começarem a agir ele já poderá estar doente ou ter sofrido um acidente.
É importante levar seu cão para passear na área em que vocês moram, permitindo que ele tenha noção de cheiros e direção, e assim caso fuja possa voltar para casa. Um ótimo exercício para ensinar seu cão a sobreviver caso precise é esconder petiscos pelo quintal e pela casa, mudar a água de lugar para que ele a procure… isso é trabalhar o faro dele.
Mas lembre-se sempre que cães domésticos dependem de nós, e em troca retribuem com o que têm de melhor: fidelidade e amor.

Obrigado!

Dino Adestrador

Lobo-uivando-na-floresta-wallpaper-22936

Cão… Um santo remédio?

img-471453-petsAcho engraçado as pessoas me perguntarem “Que cachorro é bom pra criança?” ou “Que cachorro seria bom pra eu ter, pois estou com depressão e o médico ou psicólogo disse que seria uma boa ideia eu ter um cãozinho.” Se você tiver a mentalidade de que o cão é um remédio e apenas isso, esqueça: você nunca poderá ter um cachorro pois até remédios têm contra-indicações.
Quando você compra, ganha, adota um cão com esta finalidade, pode desencadear efeitos colaterais, problemas que vão te deixar de cabelo em pé. Por exemplo o xixi e o cocô no lugar certo, as destruições, os pelos pela casa, latidos, fugas pelo portão, brincadeiras de morder… tudo de ruim se acentua, e se acentua porque você estava apenas esperando um remédio, uma cura para a sua situação.
O correto em se ter um cão é estabelecer uma troca: você dá o que ele precisa e ele te retribui com o que tem de melhor, ou seja, atenção, respeito, carinho, fidelidade, amor dentre uma série de coisas boas que podemos chamar de ‘suplemento de alegria’ para sua vida.
Mas, repito: para que isso funcione você tem que estimular, trocar, estar preparado. Não vá esperando que um simples cãozinho segure sua barra ou a barra de seu filho durante a vida.
Se você adquire um cão sabendo dos efeitos colaterais existentes, você tira de letra e logo vocês estarão usufruindo de todo bem que essa relação produz.
Por isso, faça a você mesmo a seguinte pergunta: De que raça de cão eu posso ser um bom dono?

Obrigado!

Dino Adestrador

O cão pode tudo e não pode nada

shutterstock_93294814

Nas minhas visitas sempre recebo perguntas sobre o que o cão pode e o que o cão não pode fazer.

Bem, respondendo à primeira pergunta, o que um cão pode fazer?
R: TUDO!!

E a segunda pergunta, o que o cão não pode fazer?
R: NADA.

Confuso não?! Então, vou explicar melhor.

Um cão pode dormir na cama com seu dono?
R: Sim e Não.
Nossa, agora complicou mesmo!
Vou responder a esta pergunta com outra pergunta: você quer que o cão durma na sua cama? Se a resposta for sim então ele pode dormir, se for não, então não pode.

Regras do que é permitido ou proibido são estipuladas pela família. O fato de o cão dormir com o dono não irá estragar sua educação, desde que você mostre que é você quem está convidando e permitindo que ele durma com você.
Da mesma forma, nada impede o seu cão de ficar no seu colo assistindo TV por horas e horas, desde que você mostre que o convidou a subir no seu colo. As regras estipuladas pela família devem ser seguidas por todos, e o cão deve sim se moldar às regras da família, e não a família se moldar às regras do cão.

Veja um exercício:
Quando você se sentar no sofá e seu cachorro imediatamente pular no seu colo, não permita, empurre-o e mostre que não, você não quer naquela hora. Depois de um tempo, quando ele parar de insistir, você pode então convidá-lo a subir; isso é mostrar que é você quem está autorizando e não ele quem está decidindo o que faz, assim no futuro ele não pensará que o sofá é só dele.

As regras, o que pode e o que não pode são os donos quem decidem.

Obrigado!
Dino Adestrador