Você entende, você consegue, você está vivo!

franandKatie-full1

Domingo, um sol lindo lá fora, um dia daqueles em que você acorda e fica indescritivelmente feliz por estar vivo e tudo estar correndo bem na sua vida.

Era dia de cão terapia. Sempre que é marcada a visita aos vovôs e vovós, eles ficam alegres e esperam ansiosos a chegada desse dia especial. Já fazia tempo que eu frequentava aquele lar de idosos e todos eram colocados na área externa para nos receber. Lá havia um senhor com Alzheimer, Parkinson e paralisia já em estado muito avançado. Ele não se comunicava, não respondia à perguntas e mal abria os olhos. Com os braços tortos as mãos atrofiadas, seu corpo era rígido e a única coisa que se movimentava era sua língua, que parecia coçar a gengiva, às vezes rapidamente, às vezes devagar. A pele fina e enrugada das mãos e do rosto me davam a ideia de que ele tinha de 70 a 80 anos. Sua rotina se limitava a tomar o sol da manhã e fazer algumas sessões de fisioterapia durante a semana e sua movimentação se resumia a ir da cama para cadeira de rodas. Era assim que esse idoso ia vivendo o resto de sua vida.

Como disse, eu já havia feito algumas sessões naquele lar e os idosos conheciam a Andora, minha golden retriever. Todos jogavam a bolinha para ela, o que é uma ótima maneira de se exercitar. A Andora corria, buscava a bola e a entregava para algum vovô ou vovó jogar. Ela nunca deixou de dar atenção para nenhum idoso e por várias vezes parou em frente àquele senhor e ofereceu a bolinha para que ele jogasse – ficava parada com a bola na boca e o rabo balançando. Eu notava que Andora olhava bem nos olhos dele, esperando que ele pegasse a bolinha e jogasse, mas o que ouvíamos era “Ah Andora, ele não brinca!” ; “Ele tá dodói” ; “Ele não entende” ; “Ele não consegue!” ; “Ele não mexe os braços sozinho!”

Eu pegava a bola e a entregava para que o próximo a jogasse, e assim a sessão transcorria. Quando acabávamos, todos se despediam da Andora e eu a levava até aquele senhor e tentava, em vão, esticar suas mão para que ele a acariciasse. Seus braços rígidos davam a impressão que iriam se quebrar e logo já passávamos para a próxima pessoa.

Um dia Andora parou novamente na frente daquele senhor e logo vieram as desculpas, mas dessa vez algo me disse “Coloque a bola na mão dele!” Tirei a bolinha da boca de Andora, abri os dedos rígidos daquele senhor e a coloquei em sua mão. Abaixei-me e falei calmamente em seu ouvido: “Joga! Jogue a bola para ela!”

Ele estava ali, sentado na cadeira de rodas, com os olhos semi abertos que nunca desconfiei que estivessem realmente enxergando. Depois de alguns segundos, sua mão esquerda que segurava a bolinha foi se descolando de seu corpo e, quando vimos, ela já estava erguida acima de sua cabeça, mesmo com a dificuldade motora. Andora disparou a latir como se dissesse “Joga logo!! Vamos!!” e então, como num milagre, a bola foi lançada no ar e a euforia tomou conta do lugar. Quando olhei para trás vi enfermeiras, cuidadoras e cozinheiras correndo para chamar os outros, exclamando animadamente “Ele se mexeu sozinho!” ; “Ele conseguiu!” ; “Há quanto tempo não o vejo se mexer sozinho!”

Andora trouxe a bola e eu a coloquei novamente na mão do idoso, que a jogou mais uma vez. Aquele dia fiquei com o coração acelerado de emoção e ao mesmo tempo angustiado por não ter acreditado em Andora há mais tempo, pois desde o inicio ela sabia que aquele senhor estava querendo jogar a bolinha. Algum tempo depois, fiquei sabendo em outra visita que o senhor da cadeira de rodas infelizmente havia falecido.

Sempre que me lembro dessa historia me condeno por não ter acreditado no meu cão e ter me deixado deixar levar pelos humanos ali presentes. Por isso, sempre que seu cão parar de frente pra você e te olhar nos olhos, saiba que ele está te dizendo sem nenhuma palavra que você entende, você consegue, VOCÊ ESTÁ VIVO!!!

Anúncios

Para onde vão os animais quando morrem?

17153004699825
A Bíblia não explica diretamente se os animais tem ou não alma ou se vão ou não para o céu ou paraíso, mas posso lhes dizer que tanto homens quanto animais receberam o sopro da vida, como é dito no Livro Sagrado.
O animais são chamados de Anjos por muitas pessoas hoje em dia, e eles com certeza fizeram por merecer esse titulo.
Quando criou os animais, o próprio Deus viu que era bom, conforme Genesis 1:25. Certamente o lugar para onde vamos depois de morrer também terá animais, e no meu ver serão os que viveram aqui conosco.
Chico Xavier certa vez disse: “Quando nós amamos o nosso animal e dedicamos a ele sentimentos sinceros, ao partir, os espíritos amigos o trazem de volta para que não sintamos sua falta.” Chico estava se referindo à sua cadelinha Boneca, que tinha morrido. Quando o médium ganhou outra filhotinha, esta fazia as mesmas coisas que sua antiga cachorrinha, deixando a todos perplexos.
Eu não creio que Deus iria nos deixar cuidar, amar, sofrer por nossos animais, fazê-los nos amar tanto para no fim nunca mais os vermos. Acredito que Deus não é cruel a este ponto. Por isso, cuide bem do seu animalzinho de estimação, e caso você tenha a sorte de ir para o céu ou paraíso, terá um ou vários anjos para te receber na entrada.

Remedinho, chazinho, benzidinha…

caozi

As pessoas sempre me ligam pedindo ajuda, ou até mesmo pelas redes sociais, querendo saber que medicamento pode dar par o seu cão.

Primeiro: não sou veterinário, e nem se fosse, redes sociais e telefone não são lugar para uma consulta. Se eu mesmo medico meus cães é porque os conheço e sei de suas reações e problemas, mesmo assim, dependendo do caso, vou logo ao veterinário.

Vejo muitas pessoas medicando com remédios humanos porque não querem gastar com uma consulta por acharem caro. Um veterinário estuda cinco anos, no mínimo, para se formar e saber quando é a hora certa de receitar uma dipirona. E você acha que uma consulta que varia de R$ 70 a 100 é algo muito caro?

Sabe o que mais me deixa indignado é o dono que compra vários medicamentos de dicas dadas por amigos ou pseudos entendedores e, no final, não resolvem o problema e gastaram mais do que a consulta que achavam que era cara.

cao-pulando

Remédios de uso humano podem ser fatais para cães e os usados em animais também podem matar seu cão se você não souber a dosagem correta.

Já vi cães com fungos resistentes de curar porque o dono foi tentando todo tipo de tratamento fazendo com que o fungo criasse resistência. Ao invés, desde a primeira vez, levar ao veterinário e feito uma raspagem e verificado qual tipo de fungo, teria feito o tratamento com remédio correto na quantidade correta.

E os donos que adoram um Cataflam (diclofenaco) quase matam seus cães por causa desse remédio provocando úlceras com hemorragias nos coitados.

Sem falar os que adoram dar o famoso IVOMEC injetável no cão dizendo que depois ficam gordos, sem pulgas e carrapatos. Já vi muitos cães da família dos Galgos morrerem por essa displicência.

E as dicas falsas de tratamentos para cinomose com suco de quiabo, chazinhos que curam isso, ou aquilo. Antes de dar tais chás, verifique se existe algum estudo comprovado.

Na verdade, muitos donos querem dar o famoso “jeitinho” sem gastar e acabam no final tendo que gastar muito para tratar o problema que o cão tinha.

Confie no seu veterinário ele estudou para isso. Faça uma poupança para possíveis emergências, assim você evita ficar desprevenido. Evite os benzedores de plantão, pois eles quando estão doentes pedem para ser levados no médico e não no benzedor.

remedio-via-oral-620x465
Abaixo uma lista de alguns medicamentos proibidos.

GATOS – MEDICAMENTOS PROIBIDOS:

– Acido acetil salicílico (Aspirina®)
– Paracetamol (Tylenol®, Anador®)
– Pseudoefedrina (Claritin®, Tylenol Sinus®, Loratadina®
– Salicilato de Bismuto (Pepto Bismol®, Peptozil ®)
– Iboprofeno (Advil®)
– Piroxican (Feldene®, Inflamene®)
– Enema de Fosfato (Fleet Enema®)
– Xampu a base de Alcatrão (Sebotrat -O®, Ionil T®, Politar®)
– Xampu com Benzoato de Benzila (Acarsan®)
– Xampu com Acido salicílico.
– Xampu com Sulfeto de Selênio (Selsun Ouro®, Selsun Azul®)
– Peroxido de Benzoila – usar com cautela (Peroxidex®, Sana Dog®, Pertopic®)
– Piretróide (Antiparasitário como Butox® )
– Levamisol (Ascaridil®)
– Azatioprina (Imuram®)
– Piridium®
– Diclofenaco potássio (Cataflan®)
– Diclofenaco sódico (Voltaren®)
CÃES – MEDICAMENTOS PROIBIDOS:

– Diclofenaco de potássio (Cataflan®)
– Diclofenaco sódico (Voltaren®) e a grande maioria dos anti-inflamatórios de uso humano.
– Piridium®.

CÃES – MEDICAMENTOS DE USO RESTRITO:
– Ivermectina (Ivermec®, Vermectil®, Ivomec® entre outros).
A ivermectina tem amplo uso em cães, mas os raças Collie, Border Collie, Pastor de Shetland, Sheepdog, Bearded Collie, Pastor Australiano e todos os seus cruzamentos são intolerantes ao seu princípio, apresentando sérias alterações neurológicas.

CÃES – MEDICAMENTOS DE USO CONTROVERSO:
– Acetaminofem/Paracetamol (Tylenol®)
– Fluororacil (Efurix®).
De uso tópico se ingerido causa grave intoxicação.Risperidona (Risperidon®).

CÃES – MEDICAMENTOS QUE REQUEREM CUIDADO NA DOSE:

– Metronidazol (Flagyl®). Dose alta pode causar sintomas neurológicos.
– Sulfa-Trimetroprina (Bactrim®). Quando em dose alta podem causar displasia de medula óssea levando a anemia e Hepatopatia em Labradores
– Sulfassalazina (Azulfin®). Pode causar olho seco (KCS) nos cães.
– Aspirina. A dose em cães deve ser muito menor que a dose em humanos.

Fonte: Centro de Pesquisa

Leve ao veterinário, pô!

cachorro-veterinario-consulta-vet– Alô Dino?! Eu tô ligando pra tomar uma opinião! Minha cachorrinha perdeu os movimentos das patas traseiras e não mexe. Minha filha a deixou cair, mas não foi um tombo feio não. De lá pra cá, ela tá sem movimentar as patinhas traseiras. O que você acha que pode ser?

– Não dá para saber. Você tem que levar no veterinário.

– Hummmmm… Eu estava dando diclofenaco para ela e agora ela está fazendo um coco escuro, muito fedido.

– Pare de medicar sem saber e leve ao veterinário. Diclofenaco é um perigo para cães.

– Então, agora ela tá com diarreia. O que você acha que pode ser?

– Leva ao veterinário!

– Entendi. Bom, ela tomou só a vacina de raiva.

– Ela não tomou as importadas v10 ou v8?

– Não, só a de raiva e, ela tá assim desde domingo.

– É… Você vai ter que correr no veterinário.

– Hum… É que eu não estou podendo gastar sabe?! Meu carro quebrou, eu até ia levar, mas eu tô desesperada. Não quero perder minha cachorrinha! Por isso queria uma dica do que posso dar, você não sabe?

– Você vai ter que levar no veterinário mesmo…

– Ah! Então tá bom, vou ver o que faço aqui.

Gente, vamos acordar! Cachorro dá despesas e ter por ter não é legal. Pense bem antes de ter um ser vivo em casa.

Obrigado!!! Dino Adestrador

Quanto de ração meu cão deve comer?

bulldog-ingles-de-lado-620x412

Esta semana fui atender uma cliente, dona de um bulldog inglês de dois meses, que estava comendo as próprias fezes. O pequeno comia tudo não deixava nada.

Achei ele muito magrinho, costelas aparecendo, realmente raquítico, tendo em vista que o Bulldog inglês é forte desde pequeno.

Ela me disse que ele veio doente e estava em tratamento contra infecções e o veterinário disse que isso estava impedindo seu desenvolvimento. Perguntei que ração ele estava comendo e ela me disse que era uma que o próprio veterinário havia indicado: Royal Canin Indoor Junior. Neste momento me assustei e tornei a perguntar se foi o veterinário que havia indicado.

Perguntei quanto ela estava dando para o cão se alimentar. Ela respondeu: “75 gramas de ração fracionada, três vezes ao dia”.

A cliente disse que achava que ele estava com fome, mas o veterinário a proibiu de aumentar a quantidade dizendo que a raça era gulosa, que ficaria obeso. A dona do cão reparou que ele estava fraquinho e o especialista dizia que era por causa da infecção…e blá…blá…blá.

Na hora quase tive um ataque cardíaco. Eu explico o motivo.

Primeiro: a ração indicada pelo veterinário era uma ração para raças pequenas que irão crescer e atingir o peso máximo de 10 kg, ou seja, os nutrientes não dariam para ajudar a desenvolver um bulldog que pode chegar até 30 kg quando adulto.

Segundo: a quantidade que o veterinário estava indicando foi equivocada, pois a quantidade indicada no rótulo é baseada no peso do cão quando adulto, mais a idade que ele se encontra então você olha na tabelinha. (Veja a tabela abaixo da ração correta).

 royal

Se seu peso do seu cão é estimado em 28 Kg quando adulto e ele esta com dois meses, o animal deve comer 268 gramas de ração por dia fracionada em 2 ou 3 vezes conforme indicação de um veterinário COMPETENTE. E numa ração filhote a quantidade vai alterando conforme os meses, já na fase adulta, essa quantidade varia de acordo com atividade física do cão.

Imagine um cão que deveria comer 268 gramas de ração por dia comendo 75 gramas apenas. Não sei como o coitado não morreu.

Por isso fique de olho no rótulo de sua ração. Todas vêm com a informação de quantidade e a maioria se baseia no peso do cão quando adulto. Para isso basta você ler. Em caso de dúvidas, entre em contato com 0800 da fábrica.

Agora é recuperar o tempo perdido!!!

Feliz dia das Mães de cachorro

 dog-licking-woman-620x350
Muitos já devem ter ouvido essa expressão ou algumas que estão lendo este post se denominam ‘Mãe de cachorro’.
Muitas dessas mães já ficaram noites sem dormir, riram e choraram cuidando desses seres que a cada dia invadem mais nossa vida.

Tenho certeza que o amor que essas mães dispensam aos seus são amores sinceros.

A você que ao sair de casa sempre se despede de seu filhote, que o deixa numa creche para cachorro e não vê a hora de ir busca-lo, que ao menor espirro o leva ao veterinário, seja a qualquer hora do dia ou da noite, que perde a noite de sono para cuidar, que chega cansada do serviço e mesmo assim pega aquele brinquedo preferido dele pra jogar e brincar por uma hora, que se desespera quando ele sai correndo pela rua sem noção do perigo, que lê um baita sermão com o dedo em riste, sobrancelhas cerradas mas se derrete quando ele vira de barriga pra cima. Que se deixar lamber a cara sem o menor pudor, que sempre quando vai ao pet shop não deixa de levar uma lembrancinha, que quando sai de viagem fica preocupada se ele está bem e liga de hora em hora no canil em que ele fica hospedado e que mesmo tendo filho humano ainda sim continua dividindo a atenção.

Você, mãe de cachorro saiba que é merecedora de todo respeito, admiração não só por conseguir sentir esse amor, se doar, mas por não exigir nada em troca.

Feliz dias das mães!

Dois dedos de prosa

7-motivos-para-se-ter-um-cachorro-3

Uma cliente que tenho adora prosear. Por morar só com o cachorro ela acaba me contando casos engraçados onde ela e o cão mantem um diálogo bem incomum.

Ela jura que o cão a entende. E quem sou eu para duvidar?

Depois de certo tempo, convivendo bem de perto com seu cão, é possível que eles desenvolvam uma linguagem única onde animal e dono se entenda.

Com o tempo você vai notando que franzir de sobrancelhas, dedos em riste, sorrisos e até o tom da sua fala faz você conseguir diversas coisas de seu cão.

O importante é sempre conviver. Quanto mais você convive mais vocês vão se entender.

No inicio é sempre bom manter uma linguagem de sinal clara com movimentos bem longos e visíveis e com o tempo vai notar que automaticamente você vai simplifica-los, e mesmo assim seu cão irá entender.

Abraço a todos os amigos!