Palestra de MotivaCão

MOTIVA

No próximo dia 26 de fevereiro irei realizar uma palestra na Associação SABESP, na Moacir Vieira Coelho, nº 3000, Jardim Redentor, das 19h30 às 21 horas.

O valor do ingresso é R$ 15 e toda renda será revertida ao Grupo Bicho Feliz de Franca, que cuida de animais de rua.

Será o segundo ano que realizo esta palestra para ajudar o grupo no qual faço parte. O primeiro foi um sucesso de público com cerca de 200 pessoas.

Abordarei temas como xixi e coco no lugar certo, cães que fogem, furam buracos, rasgam roupas no varal, destroem objetos e outros temas. Ainda teremos um tempo para responder as perguntas do público.

Adquira seu ingresso. As vagas são limitadas.

Ingressos: rua Francisco Tarsia, nº 550 – Dino Pet Shop ou CCAA Centro na rua Estevão Leão Bourroul, nº 1900, Centro.

Te vejo lá!

Anúncios

Meu cão no avião

Imagem meramente ilustrativa

Imagem meramente ilustrativa

Vai viajar de avião e quer levar seu cãozinho?

Saiba que é mais fácil que você pensa. Basta se programar com antecedência.
Cada empresa tem regras específicas mas, na maioria parecidas. Então ligue na empresa, se informe e anote o nome da pessoa que te atendeu para depois não ficar aquele disse e não disse, pois as ligações são gravadas e, caso dê tudo errado no final, você pode mover um processo contra e empresa e usar as gravações.

O transporte de animais deve ser reservado com bastante antecedência pois o limite de carga viva por vôo é limitada.

Os compartimentos de carga são pressurizados e com controle de temperatura. Algumas empresas não transportam animais braquicéfalos (efere-se a um animal que possui uma mandíbula de comprimento proporcional ao seu tamanho corporal) tipo Bulldog, Pug, Boston terrier. Essas raças não se dão bem com mudanças de temperatura e podem passar mal durante a viagem.

O conforto do animal deve ser fornecido pelo dono através da caixa de transporte, com medidas que proporcionem o animal a ficar de pé e dar uma volta de 360º completa. No caso de viagens nacionais, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) exige que seja apresentada carteira de vacinação atualizada, onde estejam comprovadas as vacinas múltiplas e antirrábica, além de tratamento com vermífugo. Para viagem internacional, é obrigatório apresentar também o Certificado Zoossanitário Internacional (CZI). Para obtê-lo, é necessário agendar uma consulta com médico veterinário do Ministério da Agricultura, que se encontra em aeroportos internacionais.

Atenção à validade das vacinas: a antirrábica deve ter sido aplicada há mais de 30 dias e sua validade é de um ano. Caso o animal seja silvestre, é necessária, ainda, autorização emitida pelo IBAMA para transportá-lo.

Veja se o país de destino faz exigências para entrada do animal. Algumas empresas exigem que o animal viage sedado, por isso, consulte seu médico veterinário e boa viagem!

Fidelidade

DINO

Nove horas. Esse foi o horário que chegamos a praia de Itamambuca, alguns quilômetros da Praia Grande, litoral de São Paulo.

Uma praia bastante frequentada por surfistas, ótimo para crianças, pois tem um rio que deságua no mar e antes forma um local parecido com uma piscina.

Logo de cara vi um vira-lata deitado na areia virado para o mar. Parecia triste mas quando o cumprimentei foi a maior festa. Quando nos afastamos ele voltou para sua posição de frente para o mar olhando o infinito. Devia estar ali a algum tempo.

Já eu e minha família acomodados embaixo do guarda sol, observei aquele cão. Hora ele levantava colocava as orelhas para frente e em seguida deitava novamente.  Fui tentando associar o motivo daquela reação.  Então percebi que ele olhava um surfista, quando este ficava sentado na prancha o cão deitava, quando ele iniciava o processo de pegar a onda o cão levantava e, quando ele caia o cão ficava andando de um lado para o outro com as orelhas em atenção preocupado e, só deitava quando seu dono sentava na prancha novamente.

Quando foi por volta das 10h30 seu dono saiu da água e foi recebido com uma baita festa. Seu dono retribuia feliz por ter alguém a sua espera.

É de se admirar a fidelidade de um cão e o quanto praticam a paciência ficando horas ali esperando o momento de reencontrar seu dono. Fico imaginando o que se passa na cabeça de um cão quando este é abandonado numa estrada e passa o resto da vida esperando seu dono voltar, pois na cabeça dele, fidelidade deveria existir em todas as raças.

Continuo por aqui mostrando que cães são iguais em qualquer parte do planeta…