Pimenta no dos outros é refresco

shutterstock_196714352

Vejo um monte de gente usando “técnicas” absurdas e abusivas para tirar manias de seus seus cães.

Certa vez uma pessoa me disse pela internet que estava dando pimenta para o seu cão ficar mais bravo, mas que não estava adiantando, ele continuava manso. O que esse insensível e louco não sabia é que a pimenta pode ser fatal para um cão, pois pode causar um problema gástrico incurável.

Outra violência que é cometida contra o cão é enrolar o jornal e bater na cara do coitado. Na verdade, essa técnica tinha objetivo de assustar o cão, batendo com o jornal em alguma outra superfície sem ser o cão, mas alguém perdeu a paciência e enfiou na cara do totó e espalhou para todo mundo que funcionava.

E esfregar o focinho do cão na urina ou nas fezes? Era apenas para levá-lo perto do xixi ou coco, apontar e dizer NÃO, mas alguém perdeu a paciência e começou a esfregar o focinho do cão e achou que foi sua técnica que funcionou e saiu falando para um monte de gente que funcionava.

Uma das violências mais bizarra que já ouvi falar foi que morder a orelha do cão firma a liderança sobre o animal. Não sei de onde tiraram essa, mas que transforma o dono em um animal irracional, ah, isso funciona!

Bom, moral da história é: tenha cuidado com técnicas estranhas, leia sites e livros confiáveis e se isso não for suficiente de sanar suas dúvidas, pergunte a um profissional da área. Tudo que depende de agressividade e descontrole emocional para funcionar esta descartado no mundo canino. E tenha sempre em mente que pimenta arde em qualquer um!

Anúncios

Cheiro de cachorro

cao cheiro

Um dos problemas de se ter cachorro vivendo dentro de casa é o cheiro que fica no ambiente.

Nós que convivemos, já nos acostumamos, mas as pessoas que nos visitam às vezes deixam escapar um “nossa que cheiro de cachorro!”.

Segue algumas dicas de como resolver ou amenixar esse probleminha:

– Deixe a casa sempre ventilada, deixe o ar circular;
– Mantenha o cão com banhos semanais;
– Aspire a casa regularmente com aspirador de pó, assim vc retira todo pelo que fica nos cantinhos.
– Lave roupas ou tapete adicionando vinagre ou bicarbonato na lavagem;
– Os cobertores que seu cão usa pra dormir também devem ser lavados periodicamente.

Seguindo essas dicas você evita que sua casa fique cheirando cachorro, rs.

Xixi pode, xixi não pode

xixi

Hoje vou falar sobre aqueles produtos que atraem ou repelem o cão a fazer xixi em determinados lugares, os chamados Pipi Pode, Pipi Não Pode.

A primeira coisa que é preciso saber sobre tais produtos é que eles não fazem milagres sozinhos. É preciso que você participe ativamente da educação do seu cão.

Agora, vamos a eles. O Pipi Pode, produto que atrai o cão geralmente é feito a base de amônia e ureia, ou seja, nada mais que xixi engarrafado, pois são químicos encontradas na urina de vários seres vivos, inclusive na de seres humanos. É por isso que quando você pinga o produto no tapetinho ou no jornal é como você estivesse marcando o território, deixando ali um lembrete para o filhote de que é ali o local para se fazer xixi.

Estes componentes químicos também são encontrados no nosso suor, o que explica porque os cães fazem xixi em tapetes de banheiro, pois quando você sai do banho molhado pingam algumas gotas de água do seu corpo nele. Outro local que os cães adoram é a lavanderia. Respingos de água de sabão, que contém amônia, caem ali formando um grande território marcado.

Já o Pipi Não Pode, ao contrário do que o conhecimento popular, não irá repelir o cão ou filhote de fazer xixi naquele local. O que realmente ele faz é desmarcar, tirar o cheiro do lugar onde o filhote fez o xixi, fazendo com que ele procure um novo local para fazer suas necessidades.

Se caso você esteja cansado de usar esses produtos você pode usar o próprio xixi do seu cão para marcar o local a ser usado. Já para desmarcar locais que ele está acostumado a usar, pode-se utilizar a Citronela que não possui amônia ou ureia e tem cheiro mais agradável que o Pipi Não Pode e produtos similares.

Caso queira repelir o cão de determinado local já existem no mercado os chamados Bloqueadores, produtos feitos especificamente para repelir o filhote impedindo que ele faça suas necessidades ou até fique no local, como tapetes, carpetes, sofá, cortinas, etc.

Bom, agora que já aprendeu para que serve cada produto, mãos a obra no condicionamento do seu filhote.

Cão de 3 patas

Foto: Dirceu Garcia/Comércio da Franca

Foto: Dirceu Garcia/Comércio da Franca

Lendo a matéria do Comércio da Franca do dia 23/10/2014, fiquei indignado com o abandono de uma cadelinha cuja pata traseira havia sido amputada.

Belinha assim chamada por seus socorristas foi amarrada numa árvore de um terreno no Jardim Veneza em Franca e abandonada.

Fica então a dúvida: por que será que a abandonaram? Será que tinha uma vida dificil? Difícil locomoção? Será que um cão amputado pode ter qualidade de vida? Não creio que foi abandonada por simples crueldade humana.

Alguns animais demoram um pouco a se acostumarem com a novo eixo gravitacional, mas logo conseguem correr, brincar saltar, e aprender truques. Um membro amputado não interfere no aprendizado e alegria de um cão.

Acidentes são as causas mais comuns de amputação de membros é os acidentes. Outros casos de amputação são tumores como o osteo sarcoma que requer a amputação do membro afetado, pois o processo visa impedir o aumento da área afetada.

Se você tem um cãozinho amputado ou pretende adotar um saiba que este poderá ter uma vida normal, procure se informar com pessoas que possuem cães com o mesmo problema e verá que não é um bicho de 7 cabeças.

Roupas no Varal

shutterstock_24091723

Cães aprendem de tudo, mas nada como a bagunça, isso é o que aprendem com maior facilidade. Muitos aprendem observando outro cão ou até mesmo o próprio dono. Não, espera, o próprio dono? Sim, é verdade! O maior exemplo disso é quando dono vai no jardim e planta alguma coisa. O cão observa de longe e, quando o dono se ausenta, aquele vai ver o que foi enterrado ali e iniciando uma série de buracos.

Com as roupas no varal é a mesma coisa. Ele vê o dono as pendurando e quando este sai de perto ele vai e as puxa. O que ele faz ali é treinar sua caça fazendo um cabo de guerra com a roupa e pulando nela quando o vento a balança. Quer brinquedo melhor para um cão??? Daí surge a pergunta: por que quando estou em casa ele não pega as roupas no varal?

Simples, você está lá e o corrigiu. Ele sabe que pegar roupa na sua presença é errado. Mas ninguém o corrigiu na sua ausência. Por isso o que vou ensinar aqui se chama correção indireta, ou seja, é a correção sem associar à presença do dono.

Pegue uma lata de tinta 18L vazia. Coloque latinhas de cerveja ou refrigerante dentro (ótima desculpa para tomar umas, rs!). Coloque em cima do muro, telhado ou algo próximo ao varal. Amarre-a num pano velho estendido no varal. Quando o cão puxar a “armadilha” irá cair, causando um incômodo no cão que irá associar o barulho e o susto ao ato de pegar roupas na sua ausência.

Mas veja bem! É importante que o cão não veja que você fez a armadilha, pois se ele notar a presença do barbante ele ira puxar somente quando a armadilha não estiver armada! Este tipo de correção (indireta) pode te dar várias ideias para corrigir comportamentos que são feitos na sua ausência.

Ps: Fala a verdade, a ideia do uso da latinha de cerveja foi boa, num foi???

Reconhecendo a Bondade

shutterstock_150375152

Esse fim de semana fui experimentar as famosas coxinhas de Bueno de Andrade distrito do município de Araraquara. Peguei minha moto, eu, meu filho Fellipe, meus amigos Maurão e Ed Morte tomamos rumo a esse pequeno vilarejo.

Ao chegarmos sob o sol de 40ºC logo procuramos uma sombra para saborearmos a especialidade. Ao me sentar logo vi um cãozinho todo preto deitado tirando um cochilo, fiquei olhando para ver o mesmo se mexia, rs. Pois com aquela temperatura dormir sob o sol pode ser fatal.

Num dado momento ele se levantou e olhou em volta, parecia procurar algo, olhava as mesas, parado, decidindo a quem pedir um pouco de comida. E sem pestanejar se dirigiu até nossa mesa, mais precisamente ao meu filho Fellipe. O cãozinho cheirou a perna de Fellipe que num movimento disfarçado partiu a coxinha na metade e deu ao cão em baixo da mesa, rs. Fingi que não vi.

Fellipe foi o primeiro a terminar lógico, pois dividiu sua coxinha com o cão. Perguntei se ele queria mais ele disse que sim. Eu sabia pois ainda estava com fome, só que dessa vez disse compre uma para você e outra para o seu amigo, rs. Fellipe sorriu com o canto da boca meio sem graça, então eu disse:

“Nunca vou te repreender por ajudar algum animal ou ser humano fique tranquilo”.

Ele todo feliz saiu em busca de mais 2 coxinhas seguido por seu novo amigo de Bueno de Andrade.

Um estudo realizado pela Dra. Monique Udell, da Universidade da Florida, envolvendo cães tiveram o sucesso de descobrir através de testes que cães reconhecem pessoas boas, ou seja, de coração mole.

Isso não é nenhuma novidade para mim, pois cães sabem quando você esta triste, alegre, bravo e podem sim através da necessidade desenvolver a habilidade de reconhecer pessoas benevolentes numa multidão. É a lei da sobrevivência e os cães de rua tem suas habilidades apuradas nesse sentido, sobreviver.

Pena que nós não conseguimos desenvolver esta habilidade…