Calopsitas merecem cuidado como qualquer outro animal de estimação

calop
As pessoas tem uma ideia errada quando pensam em ter uma calopsita. Se elas adoecem, não as levam ao veterinário por acharem caro uma consulta e algumas chegam até a apresentar problemas psicológicos devidos a sua má qualidade de vida. As calopsitas são aves típicas do interior australiano e começaram a ser criadas no século XVIII, porém foi somente na década de 70 que elas passaram a ser comercializadas no Brasil.

Primeiramente, elas tinham apenas a coloração acinzentada, também chamada de normal. Através de suas criações, ocorridas ao longo do século passado foram surgindo novas cores para a sua penugem. Atualmente verifica-se mais de treze cores, entre elas a amarela, albina, arlequim e a pastel.

Foi na década de 90 que estas aves tornaram-se mais conhecidas pelos brasileiros, contudo, a ausência de uma correta informação – principalmente em relação a alimentação adequada para estes animais – tornou-se responsável pelo alto índice de doenças e mortes destas aves ariscas que, ao serem domesticadas, tornam-se dóceis a ponto de serem consideradas mais um membro da família.

A perspectiva de vida das calopsitas gira em torno de quinze anos, mas para que isso ocorra alguns cuidados diários deverão ser tomados pelos seus donos.

O primeiro cuidado refere-se à escolha da gaiola da ave, pois esta precisa ser de um tamanho adequado a permitir a mobilidade do animal. A ave deve ter espaço suficiente para receber todos os alimentos necessários para seu bem-estar, bem como para pequenos vôos e para os brinquedos dos quais tanto gostam e que geram a sua distração ao longo do dia. As gaiolas redondas não são recomendadas, pois a ave acaba perdendo a orientação espacial no qual pode acarretar distúrbios em seu comportamento.

Com relação à água, a Calopsita pode perder quase toda a sua gordura corporal armazenada, bem como mais de metade das suas proteínas e ainda sobreviver. No entanto, a perda de 10% da água corporal, pode causar doenças graves. Sem a reposição da água que é perdida, o resultado será a morte. A água oferecida a ave deve, preferencialmente, ser fervida.
A higienização da gaiola devem ser efetuadas todos os dias, para que a calopsita não tenha contato com nenhum fungo ou bactéria que possa lhe trazer alguma doença. Em relação a isso, é válido informar que os poleiros, bebedouros e fundo das gaiolas também deverão ser lavados pelo menos uma vez na semana, tudo para garantir saúde a sua ave!

Quanto a alimentação, a calopsita se alimenta principalmente de sementes, porém, oferecer somente sementes como alpiste, painço, aveia sem casca e girassol faz com que a alimentação de sua ave fique empobrecida. O ideal é oferecer junto destas, frutas e verduras cortadas em pequenos pedaços, farinhadas e vitaminas.

A qualidade e procedência das sementes e farinhadas devem ser analisadas pelo dono do animal, pois há a possibilidade que um estoque a longo prazo seja responsável pela criação de mofo e fungos, bem como pela perda de limpeza, brilho e coloração das sementes.

Alguns donos de calopsitas costumam dar sementes de girassol em grande quantidade às aves, pois verificam que elas gostam deste alimento, mas é preciso ter cautela, pois estas sementes são ricas em gorduras e podem comprometer a saúde de sua ave. Por isso, a semente de girassol deve ser oferecida somente em pequenas quantidades e esporadicamente às aves.

Em relação as verduras e frutas, somente algumas delas são indicadas, pois outras podem gerar diarreia no animal. Dentre as frutas permitidas, podem ser oferecidas: maçã, banana, uva e pequenos gomos de laranjas. Quanto às verduras e legumes, o ideal é que sejam oferecidos: rúcula, cenoura, jiló, milho, espinafre e brócolis.
Todos estes alimentos só poderão ser oferecidos após serem lavados, devendo ser dados em pequenas quantidades e em dias diferenciados, tudo para que a alimentação torne-se variada e balanceada. Os alimentos proibidos são: abacate, alface, cafeína, chocolate, bebidas alcoólicas, sal, gordura, folhas de batata, tomate e feijão, sementes e caroços em geral (principalmente os de maçã, damasco, cereja, pêra, ameixa, pêssego).

Ainda poderão ser oferecidos bastões de sementes em alguns dias da semana e suplementos minerais, como osso de siba e pedras de cálcio, em épocas de postura e troca de penas.

As calopsitas são muito sensíveis ao frio, sendo que a temperatura ideal para uma vida saudável da sua ave é aproximadamente 25°C. No inverno, na hora de dormir, é aconselhável cobrir a gaiola com uma coberta e se possível um aquecedor de ambiente.

Por fim, para que a saúde de sua calopsita seja preservada, é necessário que haja um ambiente adequado, horário para brincar e dormir, respeito em relação a higiene do animal e alimentação balanceada, sendo sempre prudente buscar a ajuda de um profissional especializado na área de medicina veterinária em caso de dúvidas e problemas de saúde da ave.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Calopsitas merecem cuidado como qualquer outro animal de estimação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s