Cortando as unhas do seu cão

unhas

É importante começar a cortar as unhas do seu cão desde cedo, para que ele se acostume a ser manuseado e a ficar quieto na hora de cortá-las. Portanto, aconselho você a fingir que está cortando as unhas do seu cachorro quando ele tiver de 2 meses em diante, assim ele já vai se acostumando com a ideia.

Cães que vivem em apartamento normalmente precisam cortar as unhas mais vezes do que cães que passam boa parte do dia no quintal. Isso porque o cimento vai lixando naturalmente as unhas dos cães, sendo dispensável o corte com o alicate.

Bem, se você precisa cortar as unhas do seu cão e não quer depender do petshop ou do veterinário pra fazer isso, vamos dar as dicas que você precisa para as unhas do seu cachorro não sangrarem. Lembrando que se você cortar a veia que fica por dentro da unha, seu cão vai sentir muita dor e vai sangrar bastante. Por isso, todo cuidado é pouco.

É melhor cortar as unhas aos poucos e freqüentemente do que cortar uma grande quantidade de uma vez. Tente fazer semanalmente mesmo que as caminhadas as mantenham naturalmente curtas. A raiz, um vazo de sangue que que corre por baixo da unha de seu cão cresce a medida que a unha cresce então se você quer um tempo maior entre os cortes, a raiz estará mais perto das pontas das unhas. Isto torna as unhas mais propensas ao sangramento durante o corte.

Espora, Unha de lobo, Quinto dedo esse são os nomes dados para o Ergot

O ergot, o quinto dedo do cão, esse deve ser cortado na primeira semana de vida. Isso porque a unha cresce e o cão pode se ferir enganchando-a em arame ou outro objeto, provocando sangramento. E, pior, a unha cresce e entorta para dentro, chegando a ferir a pele do cão. O corte deve ser feito por um veterinário. Em algumas raças, no entanto, o ergot não deve ser removido. É o caso do Grande Pirineus, que, proveniente de regiões geladas, o ergot era utilizado, originalmente, para auxiliar na escalada de montanhas, não permitindo que o cão afundasse na neve, e, ainda que não exerçam esta função no Brasil, a remoção ou ausência desses ergots duplos do Pirineus implica sua desclassificação nas exposições.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s