Um pouco do meu trabalho voluntário

O preço de quem faz um trabalho Voluntário é o sorriso de quem o recebe. Estabilidade espiritual é muito melhor que financeira!

Anúncios

Meu cão fugiu. E agora?

resgate_abracoPor incrível que pareça, está mais fácil encontrar um cão perdido. Hoje, com as paginas sociais a velocidade com que a notícia corre é capaz de você cercar o cão ali na esquina (kkkkk). Se seu cão tem mania de dar umas escapadinhas, você já deveria pensar em colocar uma coleira de identificação nele com nome e telefone. Muitos pensam que o microchip ajuda a encontrar, mas ele apenas mantém as informações de seu cão embutida. Infelizmente quem o encontrar não saberá que ele é microchipado, por isso, mais uma vez mantenha uma coleira com plaquinha de identificação.

Mas eu não fiz isso e agora?

Vamos lá! Seguem algumas dicas do que fazer:

– Sempre tenha uma foto de seu cão atualizada de boa qualidade.

– Trace um território para divulgação tendo em vista o tempo que seu cão fugiu.

– Faça cartazes bem chamativos e distribua em padarias, pontos de ônibus, açougues, supermercados e todo lugar em que pessoas ficam em filas procurando o que ler.

– Anuncie no jornal. Também compre o jornal, pois a pessoa pode anunciar que o encontrou.

– No anúncio coloque que ele toma remédio controlado para crise epilética ou cardíaca, pois assim se alguém não quiser devolve-lo porque é de raça, vai ficar com medo de gastar com veterinário e devolver. Invenções do tipo “criança doente”, “criança desesperada” não estão colando mais.

– Estipule uma recompensa por informação que leve até o cão, pois se a pessoa que o encontrar não quiser devolver, ele terá certeza que o vizinho pode ligar denunciando.

– Não desista. Nunca. Já tive um amigo que ficou um ano procurando uma pastora branca que fugiu e no final encontrou depois de uma denuncia anônima. No fim da historia ele estava com dois pastores um macho e uma fêmea, pois pessoas comovidas doaram um pastor branco macho pra ele. Mas ele continuou anunciando, panfletando, investigando as dicas e teve um baita final feliz. Não é?

Vai viajar no Carnaval? Saiba como o animal de estimação no carro de maneira segura

Feriadão prolongado, férias, hora de viajar e junto vamos levar o totó.

O que fazer? Como transportar o animalzinho de estimação e evitar multas?

cintodeseguranca

O aconselhado é nunca transportar cães e gatos soltos, se o motorista estiver sozinho. O recomendável é levar em caixas ou nas cadeiras apropriadas, ou ainda com cinto de segurança apropriado. Elas são vendidas em lojas especializadas e têm tamanhos diferenciados. Se outra pessoa estiver no carro, o bichinho pode viajar no colo do carona, preferencialmente no banco traseiro. O Código de Trânsito Brasileiro prevê multas para o transporte errado de animais. A legislação diz que o bichinho nunca pode ir na parte externa dos veículos.

Cadeirinhas-De-Carro-Para-Cachorro-e1294962040652

Portanto, se seu cachorro adora colocar a cabeça pela janela, saiba que você pode levar uma multa por isso. Também não pode ir na cabine de caminhonetes. Isso é considerado uma infração grave, com multa de R$ 127,69 e cinco pontos na carteira.

caixa-transporte-para-cachorros

Se o animal andar solto dentro do carro e tirar a atenção de quem dirige, o motorista também pode ser multado pelo artigo 169 do CTB, que prevê notificação de R$ 53,20 e três pontos.

cinturon_seguridad_para_el_

Também é proibido levar o animalzinho no colo ou do lado esquerdo, entre o corpo e a porta. Neste caso, a multa é de R$ 86,13.

VEJA OS ARTIGOS

Art. 169 – Dirigir sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis à segurança. Multa de R$ 53,20 e três pontos na carteira

Art. 235 – Conduzir pessoas, animais ou carga nas partes externas do veículo, salvo nos casos devidamente autorizados. Infração grave com multa de R$ 127,69 e cinco pontos na carteira.

Art. 252. Dirigir o veículo transportando pessoas, animais ou volume à sua esquerda ou entre os braços e pernas. Multa de R$ 86,13 e quatro pontos

Agora que você está por dentro das regras, tenha uma boa viagem!!

Como evitar um ataque e se proteger

cao bravo

Parece engraçado, mas quando se está numa situação na vida real é difícil rir. Caso aconteça com você siga minhas dicas. Não garanto que saia ileso, mas pode amenizar bastante as consequências.

Quando se deparar com um cão de rua, sem dono, o segredo está em ignorar. Geralmente eles latem mais do que mordem, mas fique atento, alguns costumam dar umas beliscadas por trás, e é importante não ficar numa posição defensiva (corpo retraído tentando se encolher ou posicionando o corpo para trás). Fique ereto, levante a cabeça, se possível dê uma estufada no peito e ande com passos firmes e seguros.

como-sobreviver-a-um-ataque-de-pit-bull-4

Caso aconteça do cão iniciar o ataque, tente correr e subir em algum muro, carro, árvore.
Caso não seja possível, vire-se de frente para um muro ou parede e fique em posição de ‘estatua’. Geralmente cães se entusiasmam quando a pessoa corre, assim estimula o instinto de caça fazendo com que ele morda na perseguição. Ficando contra a parede, sem olhar nos olhos dele, ele perderá os estímulos, você pode até levar umas duas mordidas, sei que é difícil, mas tente não se debater.

images

Caso você caia tente ficar numa posição fetal, proteger a garganta e o rosto com as mãos. Fique o mais encolhido que puder e apenas grite por socorro sem se debater.

Outro truque que pode usar é tirar os tênis e colocar na frente, geralmente alguns cães mordem o que é apresentado. Tirar a camisa e enrolar no braço também pode ajudar a amenizar o ataque.

Tudo isso se der tempo, é claro.

AJUDANDO ALGUÉM DURANTE UM ATAQUE

Caso a situação for de ajudar alguém durante o ataque preste bem atenção:

Bater na cabeça do cão, usar guia, correia, pau pode não resolver muito. Aliás, pode aguçar ainda mais o animal o fazendo realizar movimentos bruscos com a vítima na boca agravando as mordidas.

Use um extintor direcionando o jato para a cara do cão.

como-sobreviver-a-um-ataque-de-pit-bull-8

Mangueira de água também é bom. Caso ele não queira soltar, enfie na boca dele com jato de água ligado.

Levantar o cão pelas pernas como carrinho de mão e retirá-lo andando em círculos, soltando somente depois do cão realmente controlado ou vítima fora de perigo.

Estas são algumas dicas básicas que podem ser usadas por leigos. Mas lembre-se, a melhor proteção contra um ataque é evitá-lo.

E se você é proprietário de um cão feroz, seja responsável e mantenha-o na guia forte, e em casa com um portão bem seguro.

A agressividade do cão

chi
Muitas pessoas têm ideia errada sobre a agressividade do cão. Tem a ideia de que um labrador ou um golden retriever nunca vão se tornar agressivo, pois são raças taxadas de tranquilas e tolerantes.

Mas veja como um cão pode se tornar agressivo:

RAÇA E LINHAGEM

Um ataque pode ser determinado por vários fatores.

Muitas pessoas se surpreendem quando se deparam com um golden retriever ou um labrador agressivo. No imaginário delas, essas possibilidades não existem. Mas elas existem. E não são tão raras assim.

Isso não quer dizer que uma raça não seja, em média, mais agressiva ou dócil que outra. Por exemplo, rottweilers são mais agressivos que cockers, em média, mas há muitos rottweilers mais dóceis do que muitos cockers.

Por isso é importante conhecer a linhagem do seu cão pra prever uma futura cria com tendência agressiva.

INFLUÊNCIA DA CRIAÇÃO

O modo como lidamos com o cão influencia muito o comportamento dele. O médico psiquiatra Içami Tiba escreveu o livro Quem Ama Educa e essa é uma frase que tem que ser levada ao pé da letra por quem tem um cão.

AMOR E CARINHO NÃO BASTAM

Depois de um ataque do cão ao seu dono sempre ouço dele: “sempre dei muito amor e carinho, fiz tudo que ele queria ele me mordeu.”

Para a maioria das espécies, a agressividade é fundamental. Por meio dela se conquista território, se acasala, se consegue comida. Em alguns cães essa agressividade pode aflorar durante alguma situação ou mais tarde com a chegada da idade. É o caso dos cães machos que, na puberdade, começam a brigar com outros cães machos.

Eis alguns tipos de agressividade:

AGRESSIVIDADE TERRITORIAL

AGRESSIVIDADE POSSESSIVA

AGRESSIVIDADE POR MEDO OU DOR

AGRESSIVIDADE POR DOMINÂNCIA

O importante é prestar atenção em sinais de agressividade que são passados durante a vida do cão e se o dono não tomar atitude pode explodir e dependendo do tamanho do cão fazer um enorme estrago.

Cão e Portão (Eduque Bem Cedo)

portao

A pessoa chega em casa, para o carro na entrada do portão, entra pelo portão social, pega o cachorro, prende no canil, volta fecha o portão social, entra no carro aciona o portão eletrônico, fecha, desce do carro vai até o canil e solta o cachorro rs… Uma cena muito comum de donos e cães que não se entendem.

Geralmente cães que fogem pelo portão são cães que estão ecessitando de exercícios físicos e quando veem a possibilidade de liberdade aproveitam a situação.

Outro problema são donos que saem pra passear usando o portão eletrônico. Isso acaba condicionando o cão que ao ver o portão aberto associa com a saída para o passeio. É importante condicionar o filhote desde pequeno a sair para passear apenas pelo portão social e treiná-lo a ficar na garagem com o portão eletrônico aberto corrigindo-o toda vez que este se aproximar da calçada. Ao fazer isso você estará condicionando o comportamento dele e poderá tranquilamente usar seu portão eletrônico quando chegar com o carro num dia de chuva intensa.

Lembrando que se estiver com dificuldades procure um profissional.

Pequenos prazeres

cao prazerQuem me conhece há tempos sabe que eu tinha uma rottweiler que adorava andar de carro, não podia ver um com porta aberta que logo entrava, colocava a pata pra fora parecendo aqueles policiais da Força Tática.

Ela adorava sentir o vento na cara enquanto a baba que saia de sua boca molhava o vidro da porta traseira. Isso mesmo, Kaoma adorava se sentar na frente, ao meu lado. Ali ela curtia o passeio. Entrava no carro sem ter que abrir a porta, bastava dizer “entra”, ela saltava pelo vidro. Mas qual o motivo desse prazer? Tem explicação?

Claro que sim! Os cães gostam de participar ativamente da vida dos proprietários. Como o carro faz parte da nossa rotina, eles querem estar juntos conosco, sem falar que os deslocamentos levam a lugares interessantes, como os parques. O vento produzido pelo veículo em movimento é um prazer à parte, como se as novidades do mundo entrassem pela janela do carro. Além refrescar, ele traz consigo odores variados, que ativam o sistema olfativo do animal, estimulando sua curiosidade e desejo por descobrir e conhecer coisas, pessoas e animais novos.

Cães que saem de carro apenas para irem direto ao veterinário tomarem vacina, costumam adquirir medo, pois sabem que vão ser levados para tomar uma agulhada. Então, não se assuste se um dia o cão pegar a chaves do seu carro com a boca e latir pedindo para vocês darem uma volta.