Testando 1,2,3

Yorkshire Terrier

Yorkshire Terrier

Estava conversando com um amigo e disse que cães sem raça definida sofriam discriminação por não terem uma denominada ou um nome lindo do tipo York Shire Terrier ou West highland, white terrier ou Matês ou até mesmo Fox. Na verdade somente o fato da sociedade ter batizado os cães de rua de vira latas já os rebaixaram. Quem sabe se mudassem o nome de SRD ou vira latas para Andarilho Brasileiro ou Pelo Curto Brasileiro, ou Pelo Longo Brasileiro o destino deles seriam outro.

Ele discordou de mim dizendo que não que por ser um cão, a aceitação seria a mesma. Então fizemos uma aposta de R$ 100, que daria para castrar pelo menos dois cães pequenos de rua, e ainda ficar com mais uns R$ 20. Lancei o teste no meu Facebook e criei um anúncio de um SRD, o famoso vira Lata, sociável, brincalhão, que aceita crianças, sempre educado e que convive com outros cães. E 20 minutos depois lancei o perfil de um York Shire Terrie com pedigree, castrado, antissocial, não aceita crianças, nem outros cães para adoção.

Vira-lata

Vira-lata

Adivinhem quem encontrou o maior numero de adotantes? Pois é! Com o Yorkshire foram 15 ligações em 30 minutos de exposição na minha pagina, seis pretendentes no Facebook e 11 compartilhamentos. Quando a pessoa falava comigo no telefone eu dizia que esqueci de mencionar, mas que o York Shire comia as próprias fezes (coprofagia) e eu ainda pichava o temperamento dele falando mal do York exagerando na agressividade dele. Mesmo assim todos quiseram, menos um que ficou de analisar. O vira lata teve nove compartilhamentos, nenhuma ligação e quando oferecido para pessoa interessada no York ficavam de ver e me ligar.

Não tenho nada contra as pessoas que preferiram o cão de raça. Eu por exemplo, tenho três. O que eu queria mostrar é que temos um longo trabalho pela frente para mudar a cabeça das pessoas, mostrar que nome de raças é denominado por humanos, pois o York e do SRD compartilham do mesmo DNA.

Fica aqui a dica que a felicidade de se ter um cão não está no pedigree nem no lindo nome de raça que ele carrega, e sim no olhar, na alegria, na felicidade de te receber de poder ter o amor incondicional dele.

Desculpe aos amigos se ficaram ofendidos. Repito! Não recrimino vocês por quererem um cão de raça, pois somos criados numa sociedade que cria rótulos. Até mesmo em nós humanos.

Anúncios

Um pensamento sobre “Testando 1,2,3

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s